IMG_4245 (3)

Olivia Saladas entrega pedidos em marmitas de alumínio e incentiva o reuso

Restaurante fornece embalagens reutilizáveis via logística reversa e busca fornecedor na indústria para aprimorar solução

Com duas unidades na cidade do Rio de Janeiro e uma em São Paulo, o Olivia Saladas foca na gastronomia orgânica para refeições rápidas sem abrir mão de práticas sustentáveis. Todos os impactos de sua atividade são considerados, desde a origem dos ingredientes até a entrega do pedido para o consumidor final, enviado dentro de marmitas de alumínio.

“Ao escolher o delivery pela primeira vez, o cliente compra a sua embalagem de alumínio no valor de R$ 10. Nos próximos pedidos, basta sinalizar pelo site que a devolverá. Assim, fazemos a entrega do novo pedido e recolhemos as embalagens anteriores. O cliente nunca mais pagará por ela e nem gerará lixo”, explica Eva Schvartz, empresária que idealizou o negócio em 2016.

Com relação ao alumínio, o restaurante quer ir além: busca parceria com a indústria para desenvolver uma embalagem personalizada.

A marca é certificada pelo Sistema B, movimento global que considera, além do retorno financeiro, outros indicadores para medir o sucesso de um negócio, como impactos ambientais e sociais. E, nesse contexto, o Olivia Saladas tem buscado reduzir a geração de lixo plástico ao fomentar o delivery — realizado por meio de bicicleta sempre que possível — com as embalagens reutilizáveis via logística reversa.

Além das marmitas, todos os potes (sopa ou sobremesa) e garrafas de vidro (bebidas) do restaurante podem ser devolvidos em troca de R$ 1 de crédito por unidade. Apenas na unidade localizada no bairro do Itaim, em São Paulo, é possível receber o pedido em uma embalagem descartável de papel.

Barreira completa
O restaurante chegou a utilizar embalagens de aço inox para entregar as saladas, mas, por conta do custo, procurou por alternativas no mercado. As marmitas de alumínio, além da praticidade, agregaram vantagens.

Isso porque o metal tem a menor pegada de carbono dentre os materiais mais reciclados: a taxa é de 136% de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), enquanto a caixa cartonada e a garrafa PET possuem, respectivamente, 157% e 280%.

Além disso, o alumínio é a “barreira completa” mais leve disponível no mercado. É impermeável à luz, gás, vapor de água, óleos, gorduras, oxigênio e micro-organismos. O metal mantém os alimentos frescos, seguros e saborosos — ou seja, preserva a qualidade por um longo período.

“Quando vamos comprar algo é preciso considerar a pegada ecológica que aquele produto carrega do início ao fim. Aliás, tudo que tiver um “fim” envolvido precisa ser repensado. Por isso, além de usar o alumínio, com o apoio de clientes conscientes e engajados é possível promover a entrega reversa, com embalagens reutilizáveis, de um material altamente reciclável”, reforça a empresária.

 

Veja também:

Ball Corporation divulga embalagens de aerossol em feira de cosméticos

Os novos itens da linha de produtos de alumínio extrudado da Ball Corporation poderão ser vistos na FCE Cosmetique, principal feira para o setor de cosméticos da América Latina, a ser realizada em São Paulo, de 30 de novembro até 2 de dezembro. Patenteada pela companhia, a tecnologia Real incorpora conteúdo reciclado em latas de

Ardagh conclui ampliação da fábrica de Jacareí (SP) e mira expansões na Bahia e Amazonas

A multinacional Ardagh Metal Packaging (AMP) finalizou, em novembro, a segunda fase de ampliação da capacidade produtiva de latas de alumínio da fábrica de Jacareí (SP). O objetivo é atender a alta na demanda por embalagens metálicas para bebidas. O investimento está alinhado à estratégia de crescimento da empresa no Brasil, que também prevê, até

Rolar para cima