Feira de esquadrias movimenta o mercado

Fesqua 2018, realizada em São Paulo, debate o PSQ e também apresenta novas soluções


O setor de construção civil é o terceiro maior consumidor de alumínio no Brasil. Dentro desse contexto, o uso do metal para a produção de esquadrias é bastante significativo. Por isso, a Fesqua, feira bienal voltada para esse mercado, é um evento de relevância para o mercado do alumínio. Realizada de 12 a 15 de setembro, no São Paulo Expo, a mostra reuniu, além de estandes, alguns eventos simultâneos.

PSQ de esquadrias de alumínio em evidência
O Programa Setorial da Qualidade de Portas e Janelas de Correr de Alumínio foi bastante discutido no 3º Encontro Nacional da Indústria de Esquadrias, promovido pela Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (Afeal). Realizado no dia 13 pela manhã, ele reuniu cerca de trezentas pessoas.

Palestras de representantes de instituições ligadas à construção civil  e de Maria Salette de Carvalho Weber, coordenadora-geral do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), do Ministério das Cidades, reforçaram a importância do PSQ para o segmento. Milton Rego, presidente-executivo da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), também palestrou, levando um panorama sobre a indústria do metal. Sobre o PSQ — a ABAL é parceira da Afeal na iniciativa —, Milton afirmou que as empresas extrusoras têm dado feedbacks positivos. “Programas de conformidade são vitais para estabelecer uma indústria e um mercado fortes”, disse.

O que algumas empresas apresentaram

A Afeal aproveitou a feira para exibir os sistemas de esquadrias homologados pelo PSQ. Segundo Alberto Henrique Cordeiro, vice-presidente de Programas de Qualidade da associação, ter a parceria da ABAL na condução do programa foi essencial, já que é ela que reúne as extrusoras. “A intenção é ter isonomia competitiva na cadeia, favorecendo o setor e os consumidores. A Fesqua é uma oportunidade para conscientizar os fabricantes de esquadrias sobre a importância de usar os sistemas homologados”, disse.


A Alumax chamou atenção para o lançamento de sua distribuidora, batizada como Atlanta Alumínio: assim, a extrusora tem a possibilidade de atender de maneira direta os clientes. A linha fotovoltaica, com kit que leva alumínio para o suporte de painéis fotovoltaicos, também foi exibida.

A Dow apresentou na Fesqua os novos formatos de seus selantes para fachadas já disponíveis no mercado, como o Dowsil 790, Dowsil 791 e Dowsil CPS: antes envasados em cartucho plástico, balde e tambor, eles passam a ser comercializados em formato salsicha (bisnaga de 591 ml). A nova embalagem tem apelo sustentável, pois facilita o descarte, reduz o desperdício de material e diminui a geração de resíduos. Além disso, a empresa divulgou as possibilidades de customização de cores do selante Dowsil 791 — agora, é possível elaborar fachadas, seja com vidro ou ACM, com uma infinidade de cores.

Fabricante de maquinários para o trabalho com o alumínio, a italiana Emmegi levou à Fesqua sua nova plataforma digital. Ela permite que serralheiros montem um showroom virtual, mostrando para os clientes como ficaria determinada esquadria. O equipamento também pode ser integrado aos maquinários de produção. Falando neles, o centro de usinagem Phantomatic, com quatro eixos, foi destacado no estande.

O Grupo Recicla BR aproveitou a oportunidade na feira para exibir, principalmente, duas de suas marcas: Latasa Extrudados e Latasa Distribuidores, que fornecem boa parte do que produzem para o setor de construção civil. Pela segunda vez na mostra, a companhia também divulgou a expansão pela qual vem passando nos últimos anos.

A Hydro reforçou a sua presença em todos os elos da cadeia do alumínio, fazendo desde a mineração e produção do metal até o oferecimento de produtos. Dentre eles, exibiu suas linhas de esquadrias comercias e residenciais. Nesta última, a Nova Gold possui a opção de vidro colado — com design livre de marcações — e a leve, com fecho no marco e menos alumínio aparente. Já a Produtiva 25 teve seu desenvolvimento focado na otimização do trabalho do fabricante de esquadrias, trazendo inovações como o marco telescópico (ajusta para corrigir a variação na altura de vãos em obras) e a roldana clicada (aumenta a produtividade na fabricação e na manutenção).

A Perfil Alumínio mostrou várias de suas soluções para composição de fachadas. A Minimal Frame, esquadria minimalista, possui perfis pouco aparentes, de marcos embutidos e maior desempenho acústico. O sistema de janelas Cust-K, com bitola de 25 cm e uso de vidro laminado, oferece desempenho acústico com preço mais acessível. O sistema Euro Show, por sua vez, tem design europeu, desempenho acústico e suporta vidros de até 22 mm. Destaque, ainda, para o sistema de fachadas unitizadas Wall Frame, que pode ter luz de LED embutida.

A Prolind destacou suas três frentes de atuação: a de perfis para o mercado industrial; a de peças e componentes acabados, oferecidos principalmente à indústria de automóveis pesados; e a divisão de metais, com lingotes, sucatas e tarugos. A empresa também divulgou, além de suas unidades industriais, o centro de distribuição que mantém em Minas Gerais.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *