sunset-1786582_1280

Duas novas usinas eólicas no Nordeste fornecerão energia elétrica para a CBA

Complexo instalado na divisa entre Pernambuco e Piauí terá 60% do volume gerado destinado à CBA e Votorantim Cimentos

A região da Serra do Inácio, na divisa entre Pernambuco e Piauí, receberá dois novos complexos eólicos. Batizados como Ventos do Piauí II e III, em conjunto com os parques Ventos do Piauí I e Ventos do Araripe III, deverão compor o maior cluster de geração eólica do Brasil, com mil GW de capacidade instalada.

Os novos parques eólicos são fruto de investimento estimado em R$ 2 bilhões, aportados pela Votorantim Energia (VE) em joint venture com o fundo canadense CPP Investments. A conclusão das obras está prevista para 2023. Somente as duas novas unidades terão capacidade de potência instalada de 411,6 MW.

Do volume gerado, 60% será destinado à Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e Votorantim Cimentos, empresas do Grupo Votorantim. O uso de energia eólica, considerada limpa e não nociva ao meio ambiente, reforça a política sustentável das empresas. 

“Atualmente, possuímos capacidade de geração de 100% de nossa demanda por eletricidade por meio de nossas hidrelétricas mantidas pela Votorantim Energia. Assim, investir na geração de energia eólica contribuirá ainda mais com o objetivo de produzir um alumínio sustentável”, comenta o diretor-presidente da CBA, Ricardo Carvalho.

 

Veja também:

Alubar premia boas práticas de segurança preventiva de empresas contratadas

Em 2019, a Alubar – empresa que atua na fabricação de cabos elétricos de alumínio – envolveu 420 colaboradores de empresas terceirizadas na 8ª edição do Programa Ciclo de Segurança das Contratadas. As melhores práticas foram premiadas neste mês de março. “A continuidade e a evolução de programas como esse contribuem para o amadurecimento da

CBA recebe autorização para a importação de gás natural

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) obteve autorização do Ministério de Minas e Energia (MME) para importar gás natural, limitado ao volume de 350 mil metros cúbicos por dia. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira, 13 de março. A empresa poderá utilizar o volume importado para consumo próprio e

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu