foto 1

Alumínio é protagonista no cenário do musical “A cor púrpura”

Metal proporciona leveza ao projeto principal, uma casa giratória de dois andares

Em cartaz no Theatro Net SP até janeiro de 2020, “A cor púrpura”, espetáculo inspirado no livro de Alice Walker, teve a cenografia indicada ao prêmio Cesgranrio de Teatro. O destaque do cenário é uma casa giratória sem paredes, com pilares e telhado de alumínio, projetada para retratar todas as moradias da personagem no decorrer da apresentação, a partir da mudança de ângulos.

Quem assiste ao espetáculo tem a impressão de que a estrutura é de madeira, material bastante pesado. Como havia a necessidade de girar a estrutura, optou-se pela leveza do alumínio. Para ganhar um efeito semelhante à madeira, o metal recebeu uma base com esmalte sintético na cor caramelo e pintura de arte com betume.

“O alumínio permitiu que a gente fizesse uma estrutura grande, com 6,5 m de altura, 6 m de diâmetro e dois andares. Ou seja, muita altura e pouca base”, ressalta Natália Lana, cenógrafa responsável pelo projeto.

Projeto do telhado de alumínio: foi pintado para ganhar efeito de madeira

O alumínio também viabilizou o telhado, confeccionado pela empresa Feeling e montado pela equipe especializada do espetáculo. A cobertura mede 1,58 m de altura, 5,41 de largura e 4,69 de profundidade.

“Como desenhei um telhado complexo, muito pesado, cheguei à conclusão de que teria um problema para movimentar o cenário. Com o alumínio, consegui que fosse relativamente leve”, explica Natália.

O palco giratório também conta com rodízios cuja estrutura de garfo é de alumínio, possibilitando que os atores o manipulem durante o musical. O tempo para execução de todo o projeto foi de um mês.

Alumínio trouxe leveza ao projeto de dois andares

A cenógrafa acrescenta que a construção, leve e fácil de ser desmontada, cabe dentro de um caminhão, facilitando a ida do espetáculo para outras cidades.

O musical estreou no Rio de Janeiro, na Cidade das Artes, antes de chegar a São Paulo, onde permanece em curta temporada. Salvador, Curitiba, Porto Alegre, Ribeirão Preto (SP) e Belo Horizonte também devem receber a peça.

Temática
“A cor púrpura” traz um enredo forte e temas bastante atuais, como a violência contra a mulher, machismo e racismo. A história retrata a vida de Celie, uma mulher negra que vive no sul dos Estados Unidos, no início do século 20, e enfrenta muitas adversidades em busca do seu lugar no mundo.

Ficha técnica
Cenografia:
Natália Lana  
Direção: Tadeu Aguiar
Produção: Eduardo Bark
Produção de cenografia: Gisele Batalha
Cenotécnicos: André Salles e J. Faria
Estrutura do telhado: Feeling
Alumínio dos pilares: Shockmetais
Rodízios de alumínio: Schioppa

Crédito da foto de abertura: Carlos Costa

Veja também:

Indústria 4.0 traz desafios e oportunidades para o setor do alumínio

Todos os segmentos industriais estão sendo impactados pelo digital. Realidade nos negócios, as novas tecnologias abrem caminhos diversos, desafiadores e ricos em oportunidades. “Trata-se de um processo contínuo de mudança, uma jornada onde cada empresa deve ter a capacidade de avaliar e usufruir o que considera melhor para agregar valor para o negócio”. Essa é

Futurista, ACM destaca-se pela pluralidade

Uma lâmina de alumínio, núcleo de polietileno e outra lâmina do metal. Essa é a receita do “sanduíche” que forma o painel de alumínio composto, o ACM, sigla proveniente do inglês aluminum composite material. O composto chegou ao Brasil na década de 1990, após fazer sucesso na Europa e Estados Unidos. Inovador, versátil, durável e

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu