DCIM100MEDIADJI_0165.JPG

Alubar fornece cabos para linhas de distribuição de energia em Minas Gerais

Com os novos cabos com liga de alumínio, Cemig aumentará em 40% a capacidade da rede existente

Para aumentar a capacidade de condução de eletricidade de três linhas de distribuição em operação nas cidades mineiras de Belo Horizonte, Juiz de Fora e Varginha, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) adquiriu, por meio de pregão eletrônico, 192 km do cabo ACFR Alubar.

O produto será produzido pela fábrica da Alubar em Barcarena (PA), com entrega prevista para meados de 2020. Segundo a empresa, esta foi apenas a terceira venda deste tipo de condutor no Brasil e a de maior volume até então.

O cabo ACFR Alubar é um condutor formado por um núcleo de fibra de carbono, revestido por fios de liga de alumínio termorresistente com perfil trapezoidal, cujo nome técnico em inglês é Aluminum Conductor Fiber Reinforced/Trapezoidal Wire (ACFR/TW).

Na prática, isto significa que o cabo é mais leve e conduz mais energia, com o mesmo diâmetro dos convencionais com núcleo de aço (CAA). Com a troca nas linhas, a Cemig aumentará em 40% a capacidade de transmissão de energia elétrica da rede existente – mas, de acordo com a Alubar, os cabos ACFR Alubar têm capacidade para aumentar essa transmissão em até 80%, o que permite à Cemig conduzir ainda mais energia no futuro, sem a necessidade de substituir ou construir novas torres e sistemas.

Sidnei Ueda, engenheiro especialista da Alubar, explica que há várias outras linhas no Brasil nas mesmas condições e precisarão passar por uma repotenciação, tendência que deve aumentar gradativamente ano a ano, a partir de 2020.

“A necessidade de trocar os cabos das linhas velhas e a maior demanda por energia devem coincidir com uma procura maior pelo ACFR Alubar”, afirma.

Para se preparar e atender a mais esta demanda de mercado, a empresa realizou em 2018 obras de expansão que aumentaram em 80% a capacidade produtiva na fábrica de Barcarena, além de investir em contratação e desenvolvimento de pessoas, e na aquisição de novas unidades.

Veja também:

Indústria do alumínio pode ser beneficiada com o Novo Mercado do Gás

A competitividade da indústria do alumínio – cuja cadeia produtiva tem a bauxita como base para a verticalização das indústrias de alumina, alumínio e produtos semimanufaturados e acabados – está diretamente relacionada ao custo de energia, principalmente elétrica e de gás natural, que pode representar até 70% do valor total de produção. Por conta do

Inscrições para programa de trainee do Grupo Prysmian encerram-se esta semana

Os interessados em uma vaga na edição 2020 do programa de trainee do Grupo Prysmian, o Build the Future, devem correr: o prazo máximo para inscrição é quinta-feira, dia 31 de outubro. A multinacional italiana, fabricante de cabos e sistemas de energia e de telecomunicações, seleciona profissionais para uma experiência imersiva nas unidades do Brasil

Oportunidades no setor elétrico impulsionam uso do alumínio

A pesquisa sobre desempenho do consumo doméstico de produtos transformados de alumínio, consolidada pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), aponta que o setor de fios e cabos deve registrar crescimento de 18,9% neste ano. Segundo o levantamento, o segmento enfrentou queda (-1,2%) no primeiro semestre, puxada pela redução (-50,8%) no consumo de produtos importados. Já

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu