building-1804030_1280

ABAL debate impacto da pandemia na construção civil

Com ciclo de produção longo, setor pode ter dificuldade para se recuperar pós-crise

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) promoveu ontem, (11/6), mais um webinar da série “ABAL Insights”, para apresentar aos associados o panorama e as perspectivas do setor construção civil, um dos principais consumidores do metal no Brasil e no mundo. O convidado para a discussão foi Eduardo Zaidan, vice-presidente Financeiro e de Economia do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), além de membro do Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic/Fiesp).

Segundo Zaidan, antes da pandemia, a perspectiva de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) da construção era de 2% a 3% em 2020.

“Depois de três anos de recessão, entre 2014 e 2016, o mercado iniciava uma recuperação e a previsão era de que em 2019 voltaríamos aos níveis de consumo per capita, com um crescimento não muito grande para 2020”, relata.

No entanto, com o quadro recessivo, duas variáveis têm afetado o setor: o investimento e a renda.

“Quando há uma restrição fiscal grande, o investimento do governo, que sempre foi importante para o setor, desaparece. O mesmo acontece com a renda das famílias, que é utilizada para investir em imóveis e proporcionar recursos para o comércio, indústria e serviços, que também investem na construção”, explica.

O especialista avalia que a crise sanitária trouxe imprevisibilidade.

“A construção civil está trabalhando. Nosso problema não é hoje. Como nosso ciclo de produção é longo, os contratos são de 2018 e 2019, e tem bastante obra em andamento. Mas precisamos imaginar o que vai acontecer ao final desse ciclo”, ressalta.

Por enquanto, analisa, o cenário é de retração. Nos três primeiros meses de 2020 em relação ao último trimestre de 2019, o PIB da construção caiu 2,4%, e o PIB nacional reduziu 1,5%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já a ocupação na construção teve queda de 2,1%, no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD.

Veja também:

Sasazaki apresenta novas portas e janelas de alumínio

A Sasazaki ampliou o mix de produtos da linha AlumiSlim, com opções de portas e janelas de alumínio para todos os ambientes da casa. Os modelos incluem pintura branca e vidro liso, e são prontos para a instalação. Para aumentar a segurança, há ainda opções com grade, dentro do conceito clean. Segundo a fabricante, os

Setor de construção civil quer ser protagonista da retomada da economia

A Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (Afeal) realizou na última quinta-feira, 14 de maio, uma transmissão ao vivo pela internet, a famosa “live”, com o tema “Virando o jogo: a retomada da construção pós Covid-19”. A iniciativa contou com a participação de dirigentes das principais entidades representativas do setor. Na ocasião, José

Versatilidade torna o alumínio ideal para a construção civil

Funcional, leve e resistente à corrosão, o alumínio está cada vez mais presente nas estruturas do setor da construção civil. Sendo a melhor opção em comparação ao aço para muitas ocasiões, o metal também se destaca pela durabilidade, comprovada em grandes projetos arquitetônicos do mundo todo. Magda Reis, consultora da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL),

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu