Projeções de crescimento do alumínio para a construção civil são reduzidas

Segundo o IAM&M, a estimativa de crescimento no consumo de esquadrias de alumínio, aço, madeira ou PVC caiu para 3%

O Instituto de Assessoria Mercadológica & Mercadométrica (IAM&M) divulgou este mês suas análises para as estimativas de crescimento de alguns mercados do setor da construção civil para o encerramento de 2018. As projeções sofreram reduções expressivas em relação às observadas em janeiro: a estimativa de crescimento no consumo de esquadrias de alumínio, aço, madeira ou PVC caiu de 5,3% para 3%, enquanto as previsões de crescimento no consumo de vidros planos, muito usados em conjunto com esquadrias de alumínio, também sofreu queda, embora menos acentuada: de 3,7%, passou para 3,5%.

O levantamento foi feito com base em entrevistas com clientes industriais, varejistas de materiais para a construção civil e dados secundários. Ele aponta que o pequeno entusiasmo apresentado pelo mercado no período entre o final de 2017 e março deste ano não se sustentou a partir de abril.

Algumas das causas para a inversão de expectativas por parte dos empresários foram o aprofundamento da crise política no País e a consequente desconfiança na estabilidade econômica dos mercados, o impacto causado pela greve dos caminhoneiros e o aumento do desemprego.

O IAM&M presta consultoria, pesquisas e mapeamentos de mercado para o setor do alumínio há 25 anos, já tendo desenvolvido mais de cem projetos para a ABAL e para diversas empresas do setor de alumínio, como Novellis, CBA e Hydro.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *