Confira-as-carreiras-que-serão-mais-procuradas-na-retomada-da-construção-civil

Projeções de crescimento do alumínio para a construção civil são reduzidas

Segundo o IAM&M, a estimativa de crescimento no consumo de esquadrias de alumínio, aço, madeira ou PVC caiu para 3%

O Instituto de Assessoria Mercadológica & Mercadométrica (IAM&M) divulgou este mês suas análises para as estimativas de crescimento de alguns mercados do setor da construção civil para o encerramento de 2018. As projeções sofreram reduções expressivas em relação às observadas em janeiro: a estimativa de crescimento no consumo de esquadrias de alumínio, aço, madeira ou PVC caiu de 5,3% para 3%, enquanto as previsões de crescimento no consumo de vidros planos, muito usados em conjunto com esquadrias de alumínio, também sofreu queda, embora menos acentuada: de 3,7%, passou para 3,5%.

O levantamento foi feito com base em entrevistas com clientes industriais, varejistas de materiais para a construção civil e dados secundários. Ele aponta que o pequeno entusiasmo apresentado pelo mercado no período entre o final de 2017 e março deste ano não se sustentou a partir de abril.

Algumas das causas para a inversão de expectativas por parte dos empresários foram o aprofundamento da crise política no País e a consequente desconfiança na estabilidade econômica dos mercados, o impacto causado pela greve dos caminhoneiros e o aumento do desemprego.

O IAM&M presta consultoria, pesquisas e mapeamentos de mercado para o setor do alumínio há 25 anos, já tendo desenvolvido mais de cem projetos para a ABAL e para diversas empresas do setor de alumínio, como Novellis, CBA e Hydro.

 

Veja também:

MRN amplia projeto e garante estudo a alunos em comunidades do Pará

Jovens das comunidades do Alto Trombetas II, localizada na cidade de Oriximiná, Oeste do Pará, cursarão o Ensino Médio com a expansão do Projeto de Apoio à Educação Básica que a Mineração Rio Norte (MRN) mantém com as comunidades quilombolas vizinhas da empresa. “O projeto oferece escola com condições reais de participação desses alunos, para que

Ibram afirma que produção mineral cresceu 11% em 2019

No mesmo dia em que o IBGE divulgou que a indústria extrativa apresentou queda de 9,7% em 2019, sendo determinante para recuo de 1,1% no desempenho da produção industrial brasileira, o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) apresentou outros resultados: segundo o órgão, a produção mineral, excluindo os segmentos de óleo e gás, cresceu 11% em

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu