AdobeStock_79016121 (1)

“Norma mãe” da indústria de extrudados tem nova versão publicada

ABNT NBR 8117:2021 traz linguagem mais clara e objetiva para o mercado

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), supervisora e mantenedora do Comitê Brasileiro do Alumínio (CB-035), comunica a publicação da nova versão da ABNT NBR 8117:2021 — Alumínio e suas ligas – Arames, barras, perfis e tubos extrudados – Requisitos. O texto garante a qualidade dos produtos utilizados em diversas aplicações nos setores de construção civil, transportes e bens de consumo, entre outros. 

O documento passou por revisão no CB-035 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) este ano, no âmbito da Comissão de Estudo de Produtos Extrudados, coordenada por José Sakae Nagatsuyu.

A NBR 8117:2021 é considerada a “norma mãe” do setor de extrudados, pois aborda os requisitos gerais para atender as necessidades do mercado. Além disso, traz orientações para que os fabricantes tornem o processo mais robusto e competitivo. No entanto, existem outras diretrizes para os produtos utilizados em aplicações específicas.

“Estamos dando continuidade à revisão de todas as normas relacionadas a extrudados e envolvendo cada vez mais empresas. Com isso, conseguimos promover grandes mudanças para adequá-las à realidade”, comenta Sakae. 

Quais foram as mudanças

De acordo com Denise Veiga, gerente da Área Técnica da ABAL, dentre as principais alterações do documento, destacam-se: 

  • Os requisitos para classificação de acabamento superficial de produtos extrudados de alumínio;
  • A atualização de requisitos relacionados à avaliação da composição química e de propriedades mecânicas.

“No Acabamento 1, por exemplo, para perfis estruturais para fins não estéticos, o documento não determinava como o produto deveria ser enviado ao cliente, apenas se atentava à propriedade mecânica”, explica Wellington Peleggi, supervisor de Aplicação e Desenvolvimento da Hydro Extrusão.

Na nova versão, ficou mais claro para o cliente e as empresas que são aceitos manchas, atritos e pick-ups discretos, faixas, riscos e rugosidade média (Ra) de até 4,5 µm. Não são toleradas bolhas nem arrancamentos. 

Nos acabamentos 2 e 2A, para aplicações em que o material será utilizado respectivamente de forma natural ou pintado e anodizado, será necessário apresentar superfície livre de defeitos e rugosidade média (Ra) de até 1,6 µm.

Já no acabamento 3, para aplicações em que o material será anodizado após polimento, será necessário apresentar rugosidade média (Ra) de até 1,0 µm. 

“A revisão da norma eleva o padrão de referência de qualidade para os fabricantes de extrudados, alinhando melhor as diretrizes e os critérios de aceitação. Aumentar nosso padrão de qualidade é fundamental para manter nossos produtos competitivos com a oferta crescente de importação”, destaca Alisson Vasconcelos, gerente de Engenharia e Qualidade da Hydro Extrusão.

Segundo Evaldo Cizino da Silva, engenheiro de Processos da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), o documento atualiza as informações entre as indústrias e os clientes linguagem mais clara e fator de comparação mais factível.

“Há vários concorrentes no mercado. A revisão possibilita ter fonte de consulta comum de fácil entendimento, pois, antes, era mais difícil interpretar o texto. Em função da normalização, pode ser que algumas indústrias se ajustem apenas alterando o método de trabalho, sem necessidade de investimentos”, explica Evaldo.

Consultor técnico que atua de forma autônoma no mercado de extrudados, Francisco Regina acredita que as empresas terão maior facilidade de entender se o perfil está dentro da norma, assim como os clientes que utilizam perfis padronizados. 

“O objetivo da Comissão de Estudos é justamente fazer um trabalho para facilitar as partes envolvidas e ajudar a indústria nacional a ter competitividade. A ABAL oferece a estrutura completa com profissionais e técnicos para que a gente consiga fazer esse trabalho. Ela é fundamental para que isso aconteça”, frisa Regina. 

A ABNT NBR 8117:2021 pode ser adquirida no site ABNT Catálogo.

Veja também:

Albras fecha novos acordos para fornecimento da liga PFA

A Albras – subsidiária da multinacional norueguesa Hydro, localizada em Barcarena (PA) – anunciou a assinatura de novos contratos para fornecimento da liga especial PFA para fabricantes automotivos de rodas de liga leve. Após o lançamento do produto no seu portfólio em 2019, a empresa já ocupa a segunda posição no ranking nacional de comercialização, com volume de

MRN completa 43 anos de mineração sustentável na Amazônia

A Mineração Rio do Norte (MRN), localizada no distrito de Porto de Trombetas, município de Oriximiná, no oeste do Pará, completa 43 anos de atividades no dia 13 de agosto – data do primeiro embarque de bauxita, matéria-prima da cadeia produtiva do alumínio. A companhia foi construída com o propósito de promover uma mineração sustentável

MRN retoma Projeto de Educação Ambiental e Patrimonial no Pará

A Mineração Rio do Norte (MRN) retomou as atividades do Projeto de Educação Ambiental e Patrimonial (PEAP) após suspensão causada pela pandemia da Covid-19. O objetivo é promover a conscientização ambiental e auxiliar na geração de renda de comunidades quilombolas no município de Oriximiná, no oeste do Pará. “O PEAP tem dois eixos de atuação:

Rolar para cima