Shark River Foto

Hydro avança em seu projeto de estímulo às startups

Empresa quer formar ecossistema digital no Pará com parceiros que estejam em sinergia seus desafios e transformação digital

10 de julho, às 18h36

Em junho, a Hydro realizou, em parceria com a Associação Paraense de Tecnologia & Inovação (Açay Valley), o 1º Shark River, evento que reuniu startups em sua sede, em Belém, para fomentar a inovação no Pará por meio da consolidação dessas empresas como fornecedoras de soluções digitais para a indústria.

Agora, seis startups do Estado foram classificadas para a segunda fase do projeto. Essas empresas apresentaram as suas soluções nos segmentos de plataforma digital de ensino, gestão de drones e aplicação de tecnologia blockchain para rastreabilidade, além de terem sido analisadas por maturidade de mercado, capacidade de realizar negócios e excelência de gestão.

Os próximos passos, de acordo com a Hydro, será a formação de um ecossistema digital que consolide uma cadeia de parceiros digitais no Estado, em sinergia com os principais desafios da indústria local em relação à transformação digital.

“O objetivo da Hydro é fomentar a inovação no Pará. As startups estão na vanguarda do desenvolvimento de soluções e modelos de negócios inovadores. Consideramos estratégico que esse relacionamento com os ecossistemas digitais do Pará enriqueça seus profissionais e cultura organizacional”, afirma Daniel Moraes, gerente-sênior de Transformação Digital da Hydro.

Veja também:

Dia da indústria: veja como funciona a cadeia produtiva do alumínio

Hoje, 25 de maio, é comemorado o Dia Nacional da Indústria, data importante para reforçar o papel estratégico que a cadeia produtiva do alumínio exerce no Brasil. Longa e complexa, essa indústria ainda causa curiosidade em muitas pessoas que questionam se o metal é encontrado no estado metálico na crosta terrestre. Por esse motivo, explicamos

Hydro fornece alumínio para interceptador de lixo plástico em rios

A Hydro forneceu perfis de alumínio em quatro formatos diferentes para serem utilizados na segunda geração do interceptador de plástico produzido pela organização holandesa The Ocean Cleanup. O equipamento é um sistema autônomo que flutua em rios e pode captar os resíduos antes de atingirem o mar. Hoje, a solução é capaz de capturar até

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu