Primata Sauim_Foto Rodrigo Chagas (3)

MRN: publicação internacional destaca programa direcionado a primatas

Artigo aborda a ecologia da espécie Saguinus martinsi martinsi (sauim)

A revista científica Primates Conservation – que pertence a um grupo de especialistas da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) – divulgou um artigo acadêmico sobre o Programa de Monitoramento de Primatas, iniciativa da Mineração Rio do Norte (MRN), na Floresta Nacional Saracá-Taquera, em Oriximiná, no Oeste do Pará.

O estudo, de autoria de Fabiano R. de Melo, Letícia P. Silva e Leandro S. Moreira, descreve questões básicas sobre a ecologia do Saguinus martinsi martinsi (sauim), primata nativo da Amazônia brasileira.

Dados coletados de maio de 2013 a abril de 2014 mostram que grande parte da dieta de um grupo dessa espécie é composta, principalmente, por frutas (84,5%). Além disso, a árvore murici (Byrsonima crispa) foi o recurso mais explorado com relação ao tempo de alimentação (20%).

“Programas de monitoramento contribuem para apontar os padrões biológicos de espécies e auxiliam em estratégias e metodologias de manejo e conservação. A seriedade, o compromisso e a qualidade dessa iniciativa foram fundamentais para torná-la reconhecida internacionalmente. Trata-se de um marco importantíssimo para a conservação da biodiversidade na floresta amazônica”, relata Fabiano de Melo, biólogo e pesquisador da Fundação de Apoio à Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (Funape).

Para Raony Alencar, analista ambiental da MRN, um dos pontos positivos do programa é a construção de uma base de dados científicos que vão subsidiar tomadas de decisão com relação à conservação desses e outros primatas na Amazônia.

“Ter feito parte deste programa como pesquisador e hoje como apoiador técnico é muito gratificante. Espero continuar colaborando para o entendimento dos impactos da mineração sobre as populações de primatas e do processo de recolonização dessas espécies nas áreas recuperadas pela MRN”, destaca.

Crédito da imagem: Rodrigo Chaves

Veja também:

Indústrias do alumínio investem mesmo em meio à crise econômica e sanitária

Desde o ano passado, a pandemia do novo coronavírus tem exigido uma série de adaptações para que a indústria do alumínio continue a operar no País, já que a atividade é considerada essencial, levando em consideração a segurança e bem-estar dos profissionais. No entanto, nem mesmo o cenário imprevisível de crise tem impedido as companhias

Com apoio da ABAL, Nova Lei do Gás é sancionada

Na última quinta-feira (8/4), o presidente da república, Jair Bolsonaro, sancionou a lei 14.134/2021, que trata do novo marco regulatório do gás natural no país. O texto altera o regramento das atividades relativas ao transporte de gás previstas no art. 177 da Constituição Federal, entre outras ações.   A construção e ampliação de gasodutos pela

Evento ABAL Insights: 2021 deve ser positivo para a indústria do alumínio

O mercado global de alumínio, os efeitos da pandemia da Covid-19 e os cenários para 2021 foram tema do ABAL Insights, evento on-line realizado pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) para os seus associados no dia 7 de abril. Ross Strachan, analista sênior de Alumínio Primário e Produto Transformado da CRU International, apresentou uma visão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima