Solenidade de aberturar¥ Participa‹o de autoridades pœblicas, do governo federal e dos governos estaduais, dosrpoderes pœblicos, de governos estrangeiros e de l’deres do setor mineral.rHomenagens:r- Ës v’timas das rupturas das barragens de Fund‹o e Brumadinho e ˆs entidades/corpora›esr- 50 anos do Servio Geol—gico do Brasil - CPRMr- 185 anos da AngloGold Ashanti. Foto: Glenio Campregher

Mineração: Ibram defende maior regulação, proximidade com comunidades e comunicação

Abertura do Congresso Brasileiro de Mineração, em Belo Horizonte, discute o futuro da atividade no Brasil

Teve início ontem, 9 de setembro, em Belo Horizonte, a Expo & Congresso Brasileiro de Mineração (Exposibram 2019), que reúne, até o dia 12, toda a cadeia da indústria da mineração, representantes de entidades do setor e políticos de diversos escalões para o debate sobre o futuro da atividade no País — confira em breve, aqui no portal, a reportagem explicando como é feita a mineração de bauxita, matéria-prima do alumínio, no Brasil.

O presidente do Conselho-diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Wilson Nélio Brumer, afirmou que as recentes tragédias envolvendo barragens devem ser compreendidas como lições para a mineração brasileira. “Defendemos que as investigações sejam feitas para que esses fatos não se repitam”, disse. O dirigente também destacou a importância de se pensar o amanhã. “Neste momento, temos de analisar como será a mineração do futuro e o futuro da mineração, com um novo patamar de regulação operacional e de segurança, mais proximidade com as comunidades e um modelo de comunicação para fazer com que a sociedade entenda a importância da mineração”, enfatizou.

Dentro desse conceito, foi lançada na cerimônia a Carta Compromisso do Ibram Perante a Sociedade. O documento estabelece a visão do instituto sobre como a indústria minerária irá construir o “futuro da mineração e a mineração do futuro”. O texto apresenta novos propósitos voluntários, com “metas mensuráveis, verificáveis, reportáveis, críveis, alcançáveis e implementáveis”, informa o Ibram. Esse conjunto de propostas está relacionado a doze áreas:

– Segurança operacional;
– Barragens e estruturas de disposição de rejeitos;
– Saúde e segurança ocupacional;
– Mitigação de impactos ambientais;
– Desenvolvimento local e futuro dos territórios;
– Relacionamento com comunidades;
– Comunicação & reputação;
– Diversidade & inclusão;
– Inovação;
– Água;
– Energia;
– Gestão de resíduos.

Regulação
O ministro de Minas e Energia, almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior, informou no evento que o Executivo nacional tem, em curso, uma proposta para aperfeiçoar o marco legal da mineração, de forma a garantir sustentabilidade social e ambiental. A valorização da pesquisa geológica também foi lembrada. “Precisamos melhorar o detalhamento geológico do País. Temos, hoje, 10 mil minas autorizadas, as quais ocupam apenas 0,62% do território nacional”, lembrou. A desburocratização dos processos de exploração mineral também é uma das iniciativas do governo federal —leilões de áreas para possíveis interessados estão em sua pauta.

O diretor-presidente do Ibram, Flávio Ottoni Penido, destacou a importância da Agência Nacional de Mineração (ANM) e do novo enfoque que o governo federal tem dado ao setor. “Precisamos ter uma agência forte para que haja condições de fiscalizar e auxiliar as micro, pequenas e médias empresas do setor”, afirmou. Para ele, o setor tem de promover intensas transformações para reconquistar a confiança da sociedade. Além de uma completa reestruturação do Ibram, que terá sua presença reforçada nos Estados em que existe atividade mineradora no País, o instituto também tem projetos para aumentar a competitividade da indústria nacional e atingir um nível operacional e de segurança superior.

Veja também:

MRN amplia projeto e garante estudo a alunos em comunidades do Pará

Jovens das comunidades do Alto Trombetas II, localizada na cidade de Oriximiná, Oeste do Pará, cursarão o Ensino Médio com a expansão do Projeto de Apoio à Educação Básica que a Mineração Rio Norte (MRN) mantém com as comunidades quilombolas vizinhas da empresa. “O projeto oferece escola com condições reais de participação desses alunos, para que

Ibram afirma que produção mineral cresceu 11% em 2019

No mesmo dia em que o IBGE divulgou que a indústria extrativa apresentou queda de 9,7% em 2019, sendo determinante para recuo de 1,1% no desempenho da produção industrial brasileira, o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) apresentou outros resultados: segundo o órgão, a produção mineral, excluindo os segmentos de óleo e gás, cresceu 11% em

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu