plussixsplitter_0000_Morgan-Plus-Six-19_1

À moda antiga, mas com material moderno: Morgan usa chassi de alumínio

Plataforma de metal da geração CX é mais rígida que a de aço - e pesa apenas 97 kg

Fundada em 1910, a companhia britânica Morgan Motor é famosa por ainda produzir veículos esportivos de design clássico, quase que de forma artesanal e sob encomenda. Este ano, no entanto, a fabricante anunciou uma mudança significativa na produção.

A partir de 2020, a empresa iniciará uma transição para substituir o chassi de aço, produzido há 83 anos e que integra modelos clássicos — 4/4 (111 cv), Plus 4 (116 cv) e V6 Roadster (282 cv) —, para uma nova plataforma de alumínio da geração CX.

Nova platafoma de alumínio da geração CX é duas vezes mais rígida que a de aço e pesa apenas 97 kg (Crédito: Divulgação)

Atualmente, o 4/4, por exemplo, tem sobre o chassi de aço uma carroceria com estrutura de madeira revestida com chapas de alumínio, que já confere ao esportivo apenas 795 kg.

De acordo com a empresa, a platafoma de alumínio da geração CX é duas vezes mais rígida que o chassi de aço e pesa apenas 97 kg. A estrutura é aplicada no novo modelo Plus 6 (335 cv), e já integrou o Aero 8 (372 cv) e a segunda geração do Plus 8 (362 cv).

Steve Morris, CEO da Morgan Motor, afirmou que a nova plataforma representa um empreendimento significativo.

“Após o sucesso da plataforma e do Plus 6 no início deste ano, estou feliz por podermos finalmente revelar mais planos para os novos modelos em 2020.”

Veja também:

Consumo de alumínio tem alta de 25,2% no 1º semestre de 2021

A pesquisa de mercado consolidada pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) no primeiro semestre de 2021 revela que o consumo doméstico de produtos transformados cresceu 25,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O volume total foi de 805 mil t, sendo 88% de origem nacional e o restante de importações. “O bom desempenho

Balança comercial: alumínio registra superávit no primeiro semestre de 2021

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 registrou superávit de US$ 623 milhões (valor FOB, sigla em inglês para designar o frete em que a responsabilidade pelo transporte da mercadoria é do cliente). O resultado positivo se deve, principalmente, às exportações de alumina

Albras ocupa segunda posição no ranking nacional de comercialização da liga PFA

A Albras, subsidiária da multinacional norueguesa Hydro na produção de alumínio primário, tem se destacado no mercado de liga PFA (lingote com liga de silício), utilizada em larga escala pela indústria automotiva. Desde o lançamento do produto no seu portfólio, em 2019, a empresa ampliou em 100% a produção e já é a segunda maior

Rolar para cima