Embalagens: tendências de consumo revelam potencial para o alumínio

Ana Paula Gilsogamo, especialista de Alimentos e Bebidas da Mintel, ressalta a necessidade de a indústria informar os consumidores sobre a reciclagem do metal


Os brasileiros estão cada vez mais preocupados em adquirir produtos cujas embalagens evidenciem a saudabilidade e sejam produzidas com materiais sustentáveis e de alta qualidade. Os dados são do relatório Tendências de Embalagens em Alimentos e Bebidas — Brasil, divulgado em junho pela Mintel, empresa focada em pesquisas de mercado.

Em entrevista ao portal Revista Alumínio, Ana Paula Gilsogamo, especialista de Alimentos e Bebidas na Mintel, comenta que materiais como o alumínio, que têm altíssima porcentagem de reciclagem no País, podem se beneficiar da busca dos consumidores por opções mais sustentáveis — em 2017, foram reaproveitados 97,3% das latinhas de alumínio produzidas no País.

Apesar disso, a profissional ressalta que apenas 44% dos entrevistados notam que as embalagens feitas com o metal são recicláveis, demonstrando a necessidade de implementar ações de comunicação para a conscientização dos consumidores.

Ana Paula Gilsogamo, da Mintel: materiais como o alumínio, que têm altíssima porcentagem de reciclagem no País, podem se beneficiar da busca dos consumidores por opções mais sustentáveis (Imagem: divulgação)

Qual é a principal preocupação do consumidor em relação à compra nos setores de alimentos e bebidas?
Ana Paula Gilsogamo — De acordo com a pesquisa realizada para o relatório da Mintel, ‘ser saudável’ é o atributo mais importante para 71% dos consumidores ao comprar alimentos e 61% ao adquirir bebidas. Sendo assim, embalagens que evidenciem a saudabilidade de seus produtos podem chamar a atenção do consumidor brasileiro. Podemos citar as embalagens clean label, que destacam os ingredientes naturais e aqueles de fácil reconhecimento por parte dos consumidores na parte frontal da embalagem.

Que tipos de embalagem têm sido mais consumidos e quais são os materiais preferidos pelos consumidores: metal, papel, plástico ou vidro?
De acordo com a pesquisa, 36% dos consumidores afirmaram ter interesse por alimentos e bebidas com embalagens que listem os ingredientes na parte da frente do rótulo. Outra tendência são as embalagens com materiais que sejam percebidos pelo consumidor como ‘saudáveis’ ou de alta qualidade. O vidro e o metal são os materiais mais identificados como de alta qualidade — à prova de vazamento, por exemplo. Os brasileiros demonstram interesse por alternativas não poluentes e, em muitos casos, já deixaram de usar alguns produtos à base de plástico, caso do canudo. Nesse relatório, os entrevistados citaram as “embalagens feitas com material não poluente — por exemplo, a fibra vegetal — como uma inovação que os incentivaria a comprar alimentos e bebidas”. Ainda segundo o Relatório Mintel Sucos – Brasil, divulgado em março de 2019, 41% dos consumidores concordaram com a afirmação: “Usei menos canudos para beber suco nos últimos seis meses”.

O alumínio, material 100% reciclável, além de ser leve e resistente à corrosão e mecânica, está em sintonia com as tendências de consumo?
Materiais como o alumínio, que têm uma altíssima porcentagem de reciclagem no Brasil, podem se beneficiar pela busca dos consumidores por opções mais sustentáveis. Para tanto, a indústria de alumínio, bem como as empresas e marcas que utilizam o material em suas embalagens, precisam informar os consumidores brasileiros sobre esses importantes atributos, e assim gerar maior percepção de valor para esse material.

Segundo a pesquisa, os consumidores têm dificuldade para identificar as embalagens de alumínio como recicláveis?
Apesar de as embalagens de alimentos e bebidas de alumínio, com destaque para as latinhas, serem as mais recicladas no Brasil, quando perguntamos aos consumidores sobre sua percepção em relação a embalagens de metal, apenas 44% as percebem como recicláveis. O brasileiro demonstra certa dificuldade em reconhecer as opções mais recicláveis e sustentáveis. Além da informação, também se mostra carente de uma estrutura que facilite o processo de reciclagem.

Quais foram as principais dificuldades mencionadas pelos entrevistados em relação ao consumo mais sustentável?
De acordo com a pesquisa, 59% daqueles que consideram difícil manter hábitos sustentáveis relacionados a embalagens de alimentos e bebidas, citaram não saber identificar quais produtos têm as embalagens mais sustentáveis. Além disso, 52% dos entrevistados mencionaram não ter conhecimento suficiente para lidar com as embalagens vazias — onde descartá-las se forem recicláveis, por exemplo. Ainda 58% afirmaram não ter fácil acesso a serviços de coleta e consumo sustentável de embalagens, como a coleta seletiva de lixo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *