005_SCA_Guangzhou_Grand_Theatre

Alumínio evoca o brilho da seda em fachada de teatro chinês

Mais de 14 mil painéis metálicos integram o projeto sediado em Guangzhou

Há milhares de anos, a seda tem sido pintada e bordada por artistas na cidade de Guangzhou, localizada no Sul da China, para representar mitos e cenas da natureza em tapeçarias e mantos ornamentais.

Foi a partir dessa inspiração que o escritório londrino SCA (Steven Chilton Architects) desenvolveu mais um projeto de vanguarda para a região, o edifício Sunac Guangzhou Grand Theatre.

O objetivo dos arquitetos foi imprimir na aparência do novo teatro dez dobras suavemente curvas e retorcidas que remetem à forma e à textura de um lenço de seda, com ilustrações do artista Zhang Hongfei.

Com o uso de modelagem digital avançada, foi possível elaborar a geometria do revestimento externo com 14.600 painéis triangulares de alumínio anodizado nas cores dourada e vermelha. As peças predominantemente douradas ajudam a refletir o calor para fora do edifício.

As imagens impressas na fachada metálica foram influenciadas por um mito local: os “100 pássaros em homenagem à fênix”, que representa virtude e graça. A SCA digitalizou os desenhos feitos à mão antes de mapear cada figura na geometria da superfície.

Com o nosso trabalho no teatro, temos nos empenhado em canalizar a história, a emoção e a energia criativa da cidade por meio de um edifício cujo objetivo é alimentar a próxima geração de líderes culturais nas artes cênicas”, ressalta Steven Chilton, diretor da SCA.

Veja também:

Poços de Caldas, cidade das águas termais e do minério de bauxita

Devido à formação geológica rica em minério de bauxita, a cidade de Poços de Caldas, localizada no Sudoeste de Minas Gerais, divisa com o Estado de São Paulo, ofereceu uma contribuição importante para o início da produção de alumínio primário no Brasil. A região atraiu investimentos da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) há 80 anos

Casais se conhecem trabalhando para a MRN na Amazônia

Neste Dia dos Namorados, conheça duas histórias de amor que tiveram início em períodos distintos no projeto da Mineração Rio do Norte (MRN), desenvolvido no distrito de Porto Trombetas, município de Oriximiná (PA), em pleno coração da Amazônia. Em 1986, dois jovens se conheceram durante encontros com amigos em espaços de lazer, jogos no ginásio

Baterias de íons de alumínio: mais eficiência e sustentabilidade

O Instituto Australiano de Bioengenharia e Nanotecnologia, da Universidade de Queensland, na Austrália, e o Grupo GMG (Graphene Manufacturing Group) anunciaram o início da produção dos primeiros protótipos comerciais de baterias de íons de alumínio com eletrodos de grafeno.  A tecnologia tem potencial para transformar o mercado de baterias recarregáveis em alguns anos, colocando-se como

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima