comércio-exterior

Sintoma do coronavírus: estoque de alumínio aumenta na China

O volume do metal acumulado no País é o maior desde maio de 2019

De acordo com a agência de notícias Bloomberg, com o impacto do surto de coronavírus, os estoques de alumínio na China aumentaram para o patamar mais alto desde maio de 2019.

O consumo de commodities provenientes do país asiático está em queda devido à falta de trabalhadores — muitos estão reclusos como forma de evitar a propagação da doença — e restrições logísticas impedem a chegada dos produtos aos mercados finais.

Ainda segundo a Bloomberg, a principal associação chinesa da indústria de metais não ferrosos pediu que o governo local compre metais das fundições para aliviar a pressão do aumento dos estoques.

Impacto chinês no mercado brasileiro
Os números consolidados mais recentes são do primeiro semestre de 2019: de acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), o Brasil importou 105,7 mil t de produtos semimanufaturados e manufaturados de alumínio. 55% desse total são provenientes da China.

Em novembro do ano passado, em entrevista ao Valor Econômico, o presidente-executivo da ABAL, Milton Rego, estimou que o Brasil importou até 150 mil t de alumínio semimanufaturado em 2019.

Com as restrições comerciais impostas ao alumínio chinês em alguns países da Europa e nos Estados Unidos, o escoamento da produção é feito em economias sem salvaguardas, como a brasileira.

Veja também:

Instituto Votorantim seleciona cidades para apoio no enfrentamento da Covid-19

O Instituto Votorantim lançou o edital “Municípios Contra o Coronavírus”, que selecionará até 20 cidades para receber assessoria técnica e especializada para as prefeituras, equipes da secretaria de saúde e de gestão, visando a apoiar o enfrentamento e gerenciamento da pandemia da Covid-19. A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), braço do Grupo Votorantim, apoia a

Hydro ajuda sete municípios paraenses no combate à pandemia

A Hydro fará a distribuição de 25 mil cestas básicas e materiais de higiene para famílias em maior vulnerabilidade social, que vivem nos municípios próximos das suas atividades no Estado do Pará: Paragominas, Ipixuna do Pará, Tomé-açu, Acará, Moju, Abaetetuba e Barcarena. Além disso, a companhia vai entregar cinco mil kits para testes de detecção

ABAL debate questões jurídicas relacionadas à pandemia

Diante das incertezas causadas pela disseminação do novo coronavírus no País, a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) promoveu para seus associados o “ABAL Insights – Covid-19”, que contemplou três webinars. O objetivo foi discutir com advogados do escritório Lobo de Rizzo, que presta assessoria jurídica para a associação, os impactos no direito de ir e

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu