Many cans of cold beer with condensation water droplets

“Setor de embalagens é o que menos sofre, mas houve redução do consumo”

A avaliação é de Milton Rego, dirigente da ABAL, em live do Instituto de Embalagens

A crise sanitária causada pelo novo coronavírus impactou vários segmentos consumidores de alumínio. No entanto, o de embalagens tem sido mais resiliente, como explicou Milton Rego, presidente-executivo da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) durante live promovida pelo Instituto de Embalagens, no dia 11 de junho.

Segundo Rego, como esse mercado está ligado aos insumos essenciais como alimentos e medicamentos, tende a sofrer menos na pandemia. Por esse motivo, o consumo de folhas de alumínio ficou neutro em função das embalagens flexíveis. Mas o de chapas para latas caiu 20%, por causa dos shows, comemorações e festas, que deixaram de existir.

“A forte queda do Produto Interno Bruto (PIB) e da renda das famílias também impactou o volume de alumínio para embalagens”, admite.

As indústrias têm mantido a oferta do metal e observado as possibilidades que surgem para a exportação, devido à desvalorização do real frente ao dólar. “A cadeia produtiva do alumínio é muito longa e as empresas só reduzem a produção em última instância. O que existe é queda na demanda”, afirmou o executivo.

Perspectivas

Em relação ao futuro pós-pandemia, apesar da dificuldade de fazer previsões, Rego acredita que algumas tendências devem ser mantidas. Uma delas é a substituição de materiais para opções mais sustentáveis, que podem elevar o percentual de alumínio nas embalagens.  

“Temos visto a busca por materiais recicláveis, resilientes, mais leves e relacionados à segurança alimentar.”

Em relação aos investimentos no setor, ele pontuou que, por enquanto, a maioria dos planos foi postergada pela falta de previsibilidade. “As empresas estão, neste momento, avaliando o que está acontecendo com o mercado.”

Assista à entrevista na íntegra: https://youtu.be/Ubdh5fm_b-U

 

Veja também:

Prêmio de design na lata de alumínio tem 15 finalistas

Os consumidores já podem escolher os rótulos de cerveja em lata de alumínio favoritos entre os 15 finalistas do Prêmio Design na Lata – concurso organizado pelas associações brasileiras de Cerveja Artesanal (Abracerva) e dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas) para valorizar o trabalho de marcas, agências e designers que atuam com a embalagem.

Como Termo assinado entre setor do alumínio e governo deve aprimorar a reciclagem de latinhas no Brasil?

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) firmaram, no início de novembro, o Termo de Compromisso da Logística Reversa das Latas de Alumínio para Bebidas. Em cumprimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), o dispositivo traz diversas ações para melhorar o já consolidado

Crown Embalagens investe R$ 300 milhões na ampliação da fábrica de Goiás

A Crown Embalagens anunciou a expansão de sua sexta unidade industrial no país, localizada em Rio Verde (GO), cuja inauguração ocorreu no final de 2019. Com um investimento de R$ 300 milhões, a companhia pretende instalar uma segunda linha de produção de latas de alumínio no local, com previsão de conclusão em 2021 e que

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu