uk-supply-chain_ric_730 (1)

Ricardo Automotive desenvolve motor elétrico com enrolamento de alumínio

Conceito da empresa britânica elimina cobre e imãs de terras raras e será utilizado em veículos comerciais

A Ricardo Automotive, empresa de engenharia britânica, especializada nos setores de Transporte e Energia, está desenvolvendo uma nova geração de motores elétricos para veículos comerciais leves. Segundo a empresa, o objetivo é criar uma tecnologia robusta e mais eficiente, com menor custo do que os produtos atuais e que também seja capaz de reduzir o impacto ambiental no final do ciclo de vida. 

Para tanto, ela está desenvolvendo um conceito de motor elétrico que não utiliza ímãs de terras raras e lança mão de enrolamentos de estator de alumínio.

De acordo com informações da empresa, a expectativa é eliminar cerca de 12 kg de metais de terras raras e cobre, material tradicional dos atuais enrolamentos que possui alto índice de acidificação. 

As vantagens do alumínio
Mesmo com 30% menos de condutividade, o alumínio tem densidade de 2,7 g/cm³, enquanto a do cobre é de 8,9 g/cm³. Dessa forma, é necessário usar enrolamentos maiores, mas esse não é um ponto crucial para veículos comerciais. Em compensação, haverá significativa redução de peso. 

Não custa lembrar que um dos principais entraves do processo de eletrificação é a autonomia dos veículos com uma carga de bateria — exatamente por isso, o alumínio é o material líder nos projetos de veículos 100% elétricos. Além disso, há outras vantagens: o metal é mais abundante e fácil de extrair. 

Existe ainda a questão da reciclagem. Embora tanto o alumínio como o cobre sejam considerados infinitamente recicláveis, o cobre é um metal mais sujeito à contaminação e demanda um processo mais complexo para retornar ao ciclo produtivo.  

Mercado em expansão
A expectativa da empresa é que, ao criar um motor testado e validado, o Reino Unido possa aumentar a produção de motores EV e acelerar a transição para o transporte eletrificado. 

Na Europa, o mercado de comerciais leves elétricos à bateria entre 2,5 e 3,5 t é atualmente de 63 mil veículos anualmente. Prevê-se que isso cresça para 282 mil veículos em 2026, atingindo 345 mil veículos em 2028.

“Nós estamos comprometidos com o apoio aos fabricantes para reduzir os custos da eletrificação, conduzindo soluções de tecnologia sustentável que apoiarão o Reino Unido na conquista de suas metas líquidas de emissão zero de carbono para veículos comerciais até 2030”, declara Teri Hawksworth, presidente da Ricardo Automotive.


O financiamento para o desenvolvimento da Ricardo foi concedido por várias fontes. Além do Office for Zero Emission Vehicles (OZEV) e do projeto Innovation UK, a iniciativa recebeu recursos do Driving Electric Revolution Challenge, do UK Research and Innovation (UKRI), um dos maiores financiadores públicos de pesquisa e inovação do Reino Unido, com orçamento de mais de 8 bilhões de libras.

Crédito de abertura: divulgação

Veja também:

Pesquisa indica a Alcoa como uma das melhores empresas para profissionais LGBTI+ trabalharem

Realizado pelo Instituto Mais Diversidade em parceria com a Human Rights Campaign Foundation (HRC) e o Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, a primeira edição do levantamento avaliou práticas de diversidade e inclusão em 60 empresas, nacionais e internacionais, com atuação no país. Desse total, 38 receberam a nota máxima e foram consideradas as melhores

Podcast da CBA tem participação de consultora da ABAL sobre esquadrias de alumínio

Já está disponível no Conecta CBA, podcast da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), o terceiro episódio da segunda temporada. Magda Reis, consultora da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL); e Fernando Varella, diretor do Negócio de Produtos Transformados da CBA, debatem os aspectos técnicos e aplicações da linha de esquadrias de alumínio Primora, além de tendências

Rolar para cima