Randon pecas

Randon produz componentes de alumínio para ventiladores pulmonares

Companhia integra ação coordenada pela Embraer para atender rede de saúde

A Randon, por meio de sua subsidiária, a Ferrari Indústria Metalúrgica, está participando de um trabalho colaborativo liderado pela Embraer. Trata-se da construção de 300 ventiladores pulmonares destinados à rede de saúde neste período de pandemia. Coube à companhia a fabricação das válvulas reguladoras de fluxo de ar e tubos venturi — componentes usados para controlar a vazão e pressão de ar.

“Essas peças são fundamentais para a produção dos sistemas de ventilação mecânica. Pela expertise da nossa empresa na injeção e usinagem de componentes de alumínio para sistemas pneumáticos, conseguimos atender todos os parâmetros técnicos e de matéria-prima especificados”, explica César Augusto Ferreira, diretor de Tecnologia e Inovação de Produto das Empresas Randon.

“Essa entrega representa uma parceria estratégica da indústria, fortalecendo toda a cadeia nacional, garantindo a sustentabilidade econômica, aliada ao atendimento das necessidades da população”, declara Daniel Randon, CEO da Randon. 

Os componentes serão direcionados para uma fabricante de equipamentos médicos hospitalares. A Embraer, por sua vez, coordena o intercâmbio entre as indústrias de setores distintos envolvidas na ação.

Veja também:

Estudo aponta futuro promissor para a indústria do alumínio

Uma avaliação inicial sobre o impacto da pandemia da Covid-19 na demanda global de alumínio feita pela consultoria CM Group, a pedido do International Aluminium Institute (IAI), revela que embora seja inevitável a queda em 2020, ainda há otimismo significativo para os próximos 30 anos: a previsão é que a demanda possa atingir 298 milhões

Alunorte e UFPA vão realizar pesquisa sobre o uso do resíduo de bauxita

A Alunorte, refinaria de alumina da Hydro, e a Universidade Federal do Pará (UFPA) firmaram parceria para um projeto de pesquisa, com duração de 18 meses, para estudar a viabilidade de produção de cimento de baixo carbono a partir da mistura do resíduo de bauxita com outras matérias-primas abundantes no Norte do Brasil. A iniciativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu