Mauricio Gouvea_Alubar Press Day

Projetos da Alubar para 2020 são anunciados em Belém

Empresa busca manter ritmo de crescimento e liderança de mercado na América Latina

A Alubar – empresa que oferece soluções em condutores elétricos de alumínio e cobre para diversos empreendimentos de energia elétrica – divulgou as iniciativas programadas para este ano, durante evento com profissionais da imprensa em Belém (PA). O plano de ações envolve desde a inauguração de novas unidades até a renovação de patrocínios e a manutenção de projetos sociais.

Em relação à expansão, duas novas unidades começarão a produzir em 2020: a Alubar Montenegro, fábrica de cabos elétricos de alumínio, no Rio Grande do Sul, e a Alubar Metals, que produzirá vergalhões de alumínio a partir de março, em Bécancour, na província de Quebéc, no Canadá. Também estão previstos investimentos em novos equipamentos, treinamentos e contratações em todas as plantas.

“Nossa equipe em Barcarena (PA) fez um estudo profundo de oportunidades de negócios, até chegar aos investimentos em novas unidades que fizemos ano passado. Vamos consolidar isso em 2020, provando que é possível, sim, desenvolver um grande negócio a partir da Amazônia, com as pessoas que estão aqui”, afirma Maurício Gouvea, diretor-executivo da Alubar.

Veja também:

Estudo aponta futuro promissor para a indústria do alumínio

Uma avaliação inicial sobre o impacto da pandemia da Covid-19 na demanda global de alumínio feita pela consultoria CM Group, a pedido do International Aluminium Institute (IAI), revela que embora seja inevitável a queda em 2020, ainda há otimismo significativo para os próximos 30 anos: a previsão é que a demanda possa atingir 298 milhões

Alunorte e UFPA vão realizar pesquisa sobre o uso do resíduo de bauxita

A Alunorte, refinaria de alumina da Hydro, e a Universidade Federal do Pará (UFPA) firmaram parceria para um projeto de pesquisa, com duração de 18 meses, para estudar a viabilidade de produção de cimento de baixo carbono a partir da mistura do resíduo de bauxita com outras matérias-primas abundantes no Norte do Brasil. A iniciativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu