Foto ok

Projeto da MRN capacita famílias em comunidades ribeirinhas

Por meio de oficinas, iniciativa promove a variação da produção de pescado e gera renda para a população local

O projeto de piscicultura (cultivo de peixes) da Mineração Rio do Norte (MRN), braço do programa de educação socioambiental da empresa, foi desenvolvido em cumprimento às condicionantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Neste ano, a ação entrou em sua 4ª fase, com a diversificação da atividade rural. Em 2020, prevê agregar valor ao pescado, oferecendo oficinas de manipulação de alimentos e técnicas de defumação do peixe aos produtores. 

Oito famílias das comunidades de Acapuzinho, Tarumã e Bacabal, que trabalham com a criação de tambaquis em tanques flutuantes, receberam orientações em outras atividades, com o objetivo de variar a produção. O grupo foi capacitado por meio de oficinas como a de meliponicultura — criação de abelhas para a produção de mel e derivados.

Miguel Canto, técnico do Laboratório de Aquicultura da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), que presta assessoria para o projeto, explica que, além da renda, a iniciativa garante a segurança alimentar para as famílias envolvidas e também para os consumidores. Isso porque os produtores recebem assistência e capacitação técnica, e participam de ações educativas.

O projeto, que já completou três anos, acumula resultados importantes, como explica Canto, com destaque para a melhoria na rampa do crescimento, influenciando diretamente na precocidade da produção final e qualidade do produto. Além disso, as famílias iniciaram uma nova etapa de investimento próprio, com recursos oriundos da atividade, e devem dobrar a produção anual a partir do suporte técnico do projeto.

Crédito da imagem de abertura: divulgação

 

 

Veja também:

Alcoa adota medidas contra a Covid-19

Diante da pandemia de Covid-19, a Alcoa afirma que protege a saúde de seus colaboradores por meio de um extenso plano que segue todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde. A empresa também integra o Comitê Municipal de Crise para Enfrentamento da Emergência de Juruti, no Pará, onde

ABAL: cadeia do alumínio é fundamental no enfrentamento do coronavírus

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) se posicionou quanto à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Segundo a entidade, “a necessidade de frear a aceleração do contágio tem de vir acompanhada de ações que garantam a preservação do emprego e da renda”. Por isso, é importante que o País continue produzindo sem comprometer

Em prol do meio ambiente, MRN investe na compostagem

A Mineração Rio do Norte (MRN) tem utilizado a compostagem como alternativa para o gerenciamento de resíduos orgânicos no distrito de Porto Trombetas, em Oriximiná, no Oeste do Pará, onde opera uma mina de bauxita. Compostagem, vale explicar, é um processo de estimulo à decomposição de materiais orgânicos com a finalidade de obter uma solução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu