IMAGE_ Jaguar IPACE exterior (2)

Projeto da Jaguar Land Rover reduz emissões de CO2 em até 26%

Montadora amplia o uso de alumínio reciclado, incorporando material proveniente de veículos em final de ciclo de vida

O Grupo Jaguar Land Rover vai ampliar a utilização de alumínio reciclado na produção de seus veículos com a implementação do projeto REALITY, que utiliza um novo processo para reciclar sucata de alumínio de veículos em final de ciclo de vida.

Segundo estudos da empresa, o projeto permitirá a redução de até 26% na emissão de CO2 na sua produção.  Isso porque o processo de reciclagem do alumínio utiliza 95% menos energia que a fabricação do metal primário.

A reintrodução do alumínio de veículos descartados na cadeia automotiva foi possível graças a um novo e avançado processo de separação, que utiliza equipamentos com sensores de alta-tecnologia, especialmente desenvolvidos pela Axion.

“O Projeto REALITY nos permitiu, pela primeira vez, recuperar alumínio premium de grau automotivo de sucata de veículos usados e os reutilizar com suas propriedades únicas”, comenta Gaelle Guillaume, gerente líder do projeto REALITY.

Até então, devido a dificuldade de separação de diferentes ligas, a sucata de alumínio proveniente de veículos em final de ciclo de vida era praticamente toda destinada a aplicações de baixa complexidade.

O projeto REALITY utiliza o alumínio de peças automotivas e de outras fontes de aplicações domésticas, misturado a uma quantidade mínima de alumínio primário, para criar uma liga com a mesma qualidade da que é utilizada atualmente nos automóveis do Grupo Jaguar Land Rover.

Após dois anos de desenvolvimento, o projeto REALITY entrou em sua fase de testes. Foi avaliado o processo de separação (com o desmantelamento dos protótipos pré-produção do Jaguar I-Pace) e a liga obtida, com a realização de avaliações de resistência e pureza.

“Estamos caminhando para um futuro autônomo, conectado e eletrificado, com frotas compartilhadas que serão descartadas em massa”, disse Guillaume.

De acordo com o executivo, o planejamento antecipado desse descarte permitirá a utilização da liga reciclada de ciclo fechado em cronogramas de produção de curto prazo, uma vez que será possível realizar a recuperação, despoluição e desmontagem em massa.

O projeto REALITY é co-patrocinado pela Innovate UK, agência governamental de inovação do Reino Unido, e foi desenvolvido pelo consórcio formado pelas empresas Jaguar Land Rover, Novelis, Universidade de Brunel, Axion, Innoval Technologies, Norton Aluminum e Warwck Manufacturing.

O processo de ciclo fechado do alumínio no Grupo Jaguar Land Rover teve início com outro projeto, batizado de REALCAR, que faz reaproveitamento da sucata da linha de produção.

Antes descartadas, rebarbas originadas após o processo de estampagem das chapas passaram a ser recolhidas, separadas e destinadas para a produção da liga RC 5754, com até 75% de alumínio reciclado. O primeiro veículo a ser produzido com essa liga foi o Jaguar XE, em 2014.

Veja também:

Pesquisa estima aumento de 24% no uso de alumínio em veículos leves na América do Norte até 2030

A mais recente pesquisa da Ducker Frontier, North American Light Vehicle Aluminium Content and Outlook, publicada em agosto, confirma a tendência de crescimento contínuo da participação do alumínio no conteúdo dos veículos leves na indústria automobilística norte-americana. Segundo o estudo, a presença do metal no conteúdo médio por veículo produzido deve subir para 233 kg

Tesla deve investir em máquinas gigantes de fundição de alumínio

Para garantir o uso mais avançado do alumínio no segmento automotivo, a Tesla – fabricante norte-americana de veículos elétricos – planeja substituir centenas de robôs por máquinas imensas de fundição. O investimento deve ser feito na planta da empresa localizada na Alemanha e a intenção é fabricar peças únicas de chassis, conforme divulgado pela Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu