b-S20_5722

Porsche produz carcaça de alumínio com impressão 3D

Protótipo é mais leve, compacto e resistente que a versão convencional fundida e deve ser usado em séries de baixo volume

A Porsche anunciou a produção do protótipo de uma carcaça para powertrain elétrico usando a tecnologia de impressão 3D. Feita por meio do processo de fusão aditiva a laser, com a liga AlSi10Mg, o modelo integra o motor elétrico e a transmissão de duas velocidades e foi projetado para ser utilizado no eixo dianteiro de um modelo esportivo. 

Segundo a fabricante alemã, o produto passou por todos os testes de qualidade e de resistência sem apresentar nenhum problema. E mais do que atender os requisitos básicos, a peça produzida com manufatura aditiva apresentou ainda uma série de vantagens sobre o modelo convencional, feito pelo processo de fundição. 

A carcaça feita com manufatura aditiva é cerca de 40% mais leve, reduzindo o peso total do conjunto em 10%. A impressão 3D também diminuiu o tempo de produção em 90% e permitiu a integração de inúmeras partes, reduzindo o trabalho necessário para integração de todas as peças.

Além disso, graças a uma estrutura de design que é possível apenas com a tecnologia de impressão 3D, a rigidez em áreas estratégicas, sujeitas a elevadas cargas de estresse, dobrou. Outro benefício foi a redução das oscilações nas paredes da estrutura, além de uma considerável melhoria acústica. 

“Nosso objetivo era desenvolver um motor elétrico usando o potencial da manufatura aditiva, integrando o maior número possível de peças e funções na carcaça, reduzindo peso e otimizando a sua estrutura”, explica Falk Heilfort, gerente de Projetos do Departamento de Powertrain Avançado no Centro de Desenvolvimento da Porsche.

A impressão 3D abre uma janela de oportunidades no desenvolvimento e fabricação de peças de baixo volume. A Porsche afirma que está trabalhando para utilizar a manufatura aditiva metálica para a otimização de peças que são submetidas a altas cargas de estresse. 

Veja também:

Consumo de alumínio tem alta de 25,2% no 1º semestre de 2021

A pesquisa de mercado consolidada pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) no primeiro semestre de 2021 revela que o consumo doméstico de produtos transformados cresceu 25,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O volume total foi de 805 mil t, sendo 88% de origem nacional e o restante de importações. “O bom desempenho

Balança comercial: alumínio registra superávit no primeiro semestre de 2021

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 registrou superávit de US$ 623 milhões (valor FOB, sigla em inglês para designar o frete em que a responsabilidade pelo transporte da mercadoria é do cliente). O resultado positivo se deve, principalmente, às exportações de alumina

Albras ocupa segunda posição no ranking nacional de comercialização da liga PFA

A Albras, subsidiária da multinacional norueguesa Hydro na produção de alumínio primário, tem se destacado no mercado de liga PFA (lingote com liga de silício), utilizada em larga escala pela indústria automotiva. Desde o lançamento do produto no seu portfólio, em 2019, a empresa ampliou em 100% a produção e já é a segunda maior

Rolar para cima