SSUCv3H4sIAAAAAAAACnSSy27DIBBF95X6DxbrWDJ+Jek/dNddlMUYT2xkDBGPVFGUfy8YO2XR7pg7w5k7A4/3tywjHRjOyEf2CJGPuRDOWA2WK+nlYrfqGmWPOlVuumqLVMCeW6U5iFTswLJRwoxelE6IID+XJDEWrDNoQvdVYmBx8IwovhDR4inG2ZZYkv6GT5EvDdJclbbR+C6pMK6LFY5NhmyJ2PA/GnrPSqjh/hfpkxuGQoBE5RJgPJy3wWFAye6/YwS6Rm/vhjPoCW06kU/SF+kcDwtw3YtGgRBXdYodyPRtUc/p8sD1XCV7uykGIhRUCemqOeNySK4pOy4Pu11jykmrg3OyTU+EUlfoRHjEi2fipo9gjC/vNz1pxPw3UnPSRyq7DLBSSe/fOoS0KtumpXVBy0NxrJqCrgXxf4zccxY7G8jHbOJ9OjoPDgjd13Vb7Ju86g+Q17Q85oCHJi8uXVlRpO2xY37Lzx8AAAD//wMAz7sXC/oCAAA=

Opinião: Aplicações de alumínio impulsionam vantagens sustentáveis em carros elétricos

Segundo diretor da Termomecanica, consumo de carros elétricos cresce no Brasil e alumínio pode ser um material estratégico para a consolidação desses veículos
Escrito por Paulo Cezar Martins Pereira*

Iniciativas que colaborem para uma agenda mais sustentável têm se tornado prioridade para diversos setores da economia global. No segmento automotivo, os carros elétricos e híbridos ganham adeptos, principalmente por reduzir e eliminar a emissão de gases poluentes quando comparados aos veículos convencionais (com motor à combustão). Diante disso, indústrias metalúrgicas e siderúrgicas têm apoiado este setor ao fornecer insumos para a produção automotiva, como é o caso do alumínio, metal que aparece com frequência em veículos elétricos.

Em 2021, a venda de carros elétricos no Brasil disparou em comparação ao ano anterior. Segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Autoveículos (Anfavea), entre janeiro e outubro foram vendidos 1.805 veículos no país, um aumento de 125,3% em relação ao registrado em 2020, quando 801 unidades foram emplacadas. Mas afinal, qual a relação entre esses mercados e como as aplicações do alumínio impactam no desenvolvimento de soluções para os veículos elétricos?

Aplicações do alumínio em carros elétricos
O alumínio já desempenha papel importante nos automóveis tradicionais, aparecendo em perfis que compõem painéis e até em peças fundidas do motor. Embora as aplicações nos veículos à combustão, elétricos ou híbridos sejam bastante similares, as possibilidades da utilização do metal nos carros elétricos são ainda maiores.

O alumínio fornecido no formato de barras, perfis variados e tubos pode ser fundido e originar peças para compor carcaças de motores, fiação do chicote, cubos, caixas de direção, mancais de transmissão, e, por fim, em material construtivo — como chapas laminadas para aplicação na estrutura dos veículos.

Vantagens sustentáveis
Um dos motivos pelo qual o alumínio é utilizado neste setor é o fato do metal possuir um peso consideravelmente menor se comparado a outros tipos de materiais. Com as baterias feitas com lítio e cobre, que representam 25% do peso dos veículos elétricos, o alumínio torna-se fundamental para promover mais leveza na estrutura do automóvel, redução no gasto de energia e, consequentemente, maior duração das baterias.

Neste contexto, as características já citadas e amplamente conhecidas do alumínio são fundamentais no segmento automotivo e garantem ampla redução no impacto ambiental. Isto porque o metal possibilita a reciclagem total ao término do ciclo de vida dos produtos elaborados a partir dele, bem como a redução de emissão de CO², que no caso dos carros elétricos chega a zero. A partir disso, esses aspectos corroboram diretamente para um sistema mais limpo e para a preservação do planeta.

Desafios
Por algum tempo, a maior dificuldade das montadoras com relação aos veículos elétricos estava relacionada a garantia de maior autonomia das baterias. Embora superado este obstáculo, outros desafios surgem no contexto brasileiro. Atualmente, uma das grandes prioridades do setor é investir na melhoria do tempo de recarga e na multiplicidade de postos ou estações de recarga, à medida que a frota aumenta.

É fato que há um cenário promissor para o mercado de carros elétricos no Brasil.  Entretanto, é preciso estar atento a pontos como investimento em novas tecnologias, custos de envolvidos nas linhas de produção e, ainda, a limitada capacidade de compra da população e ao custo final do produto. Nesse sentido, o alumínio surge como uma opção natural para apoiar o desenvolvimento desta indústria no país, uma vez que o metal se faz abundante e com distintas características, o que estimula o desenvolvimento do setor e, consequentemente, maiores oportunidades de crescimento.

Foto: Divulgação Termomecanica

Escrito por Paulo Cezar Martins Pereira, superintendente de Vendas e Marketing da Termomecanica, empresa líder na transformação de cobre e suas ligas.

Imagem de abertura: Freepik.com

Veja também:

Folhas de alumínio para baterias de íons de lítio serão produzidas no Brasil

A produção de folhas de alumínio no Brasil, destinada majoritariamente para o setor de embalagens, em breve ganhará uma nova e importante aplicação. Um projeto desenvolvido pela parceria entre Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) do Paraná irá avaliar a viabilidade da utilização da folha de alumínio nacional

Pioneira na carroceria de alumínio, Ford F-150 vem ao Brasil

A Ford confirmou a importação oficial da F-150 para o Brasil a partir de 2023. O anúncio foi realizado durante a edição 2022 da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola (Agrishow), realizada no final de abril, em Ribeirão Preto (SP), quando a marca exibiu um exemplar da picape.   Um dos principais ícones da indústria automobilística norte-americana,

Alumínio ajuda o Grupo BMW em seus objetivos de sustentabilidade

A partir de 2024, todos os modelos das marcas BMW e Mini, ambas do Grupo BMW, serão equipados exclusivamente com rodas de liga leve de alumínio produzido com energia 100% sustentável. Anualmente, o Grupo BMW adquire cerca de 10 milhões de rodas de liga leve, 95% delas feitas com alumínio fundido. Segundo a companhia, o

Rolar para cima