Production of the Audi e-tron Sportback at Audi Brussels:
attachment line in the body shop

O papel do alumínio para a redução da pegada de carbono na indústria automobilística

Além da diminuição de peso, metal contribui de outras formas para as fabricantes de automóveis atingirem suas metas de sustentabilidade

Frente a legislações ambientais cada vez mais rígidas, a indústria automobilística vem direcionando esforços para aumentar a eficiência energética de seus veículos e reduzir a emissão de poluentes e gases causadores do efeito estufa. Uma das estratégias primárias é a redução de peso — o que resulta no aumento constante da aplicação de alumínio nos veículos nas últimas décadas. 

Mesmo frente ao movimento atual, de gradual eletrificação da frota, o alumínio exerce um papel fundamental. Devido ao peso elevado das baterias, a redução proporcionada pelo metal ajuda a entregar uma autonomia atraente para o mercado. Além disso, o alumínio contribui em outras frentes, ao proporcionar uma estrutura segura para a acomodação das baterias e auxiliar no seu processo de refrigeração. 

Reportagem publicada na edição de outubro de 2020 da revista Light Metal Age aponta as várias formas como o alumínio pode ajudar as fabricantes de automóveis a atingir as metas de sustentabilidade. Segundo a publicação, particularmente na Europa, diversas marcas iniciaram uma abordagem mais direta e estratégica para reduzir sua pegada de carbono total.

Nesse cenário, a indústria do alumínio vem promovendo investimentos para o desenvolvimento de soluções que ajudem as fabricantes a trilhar por esse caminho — e muitas delas vão além da questão da redução do peso, como afirmam executivos da Hydro à reportagem. 

“Novas tecnologias estão sendo desenvolvidas para reduzir o peso dos componentes de alumínio e o seu custo de produção, além de inovações em termos de ligas e avanços na área da tecnologia de união. Devemos viver um período de 20 anos de muitas inovações para ajudar a melhorar os veículos, principalmente os elétricos”, disse Egil Hogna, vice-presidente Executivo da Hydro Extruded Solutions.

Muitas das inovações citadas por Hogna devem vir de uma estreita colaboração entre as fabricantes de automóveis e a indústria do alumínio, um elo fundamental diante dos períodos de desenvolvimento cada vez mais curtos. 

“Essa colaboração é fundamental. É importante não só atingir o que os fabricantes precisam do ponto de vista do design e do custo, mas também precisamos ser capazes de traduzir a peça em algo que possa ser manufaturado”, disse Charles Straface, presidente da Unidade de Negócios da Hydro Extrusions North America

A pegada de carbono no ciclo de vida do automóvel 

Com o processo de eletrificação da frota e mesmo o avanço notório dos motores de combustão interna, a importância relativa da fase de produção vem aumentando naturalmente. Dessa forma, segundo Hogna, “a tendência é focar mais na pegada de carbono dos veículos sob a perspectiva de avaliação de ciclo de vida”.

Como exemplos, a publicação cita três fabricantes. A BMW quer reduzir a emissão de CO2 por veículo produzido em pelo menos 1/3 até 2030; a Volvo traçou como meta reduzir a pegada de carbono por veículo em 40% até 2025; enquanto a Ford planeja atingir a neutralidade de carbono até 2050. 

Diante de tais objetivos, a seleção de materiais torna-se fundamental. Hogna ainda cita que os veículos elétricos já produzem emissões próximas de zero em sua fase de uso, se a energia for gerada por fontes renováveis. Por isso, praticamente toda a pegada de carbono de um veículo elétrico vem da fase de produção.

A Hydro, segundo seus executivos, está em constante busca pela melhoria de sua performance ambiental, por meio do uso de energia renovável onde possível, aumento da produção de alumínio reciclado e desenvolvimento de estratégias para a redução das emissões de carbono em suas operações. 

Outra forma de acompanhar as preocupações da indústria com a questão da sustentabilidade é oferecendo alumínio com reduzidos níveis de pegada de carbono, como o Hydro Reduxa. Fabricado na Noruega, o material usa 100% de energia renovável e é certificado para uma pegada máxima de carbono de 4 kg de CO2 por kg de alumínio produzido, contra uma média do mercado de 16 kg de CO2 por kg de alumínio.

Outro produto da Hydro com baixa pegada de carbono são as ligas que empregam alumínio reciclado. Trata-se da Hydro Circal, que contém pelo menos 75% do metal reaproveitado e uma pegada de 2,3 kg de CO2 por kg de alumínio. Outro exemplo de liga produzida a partir de alumínio reciclado é a Advanz 5754 RC, da Novelis, utilizada pela Jaguar Land Rover na produção de seus automóveis. 

Veja também:

Nova carroceria da Truckvan para transporte de bebidas tem alumínio

A Truckvan, fabricante de baús para carga e unidades móveis, passou a produzir recentemente implementos rodoviários para o segmento pesado. A empresa acaba de lançar uma carroceria produzida totalmente com alumínio para o transporte de bebidas. O novo produto apresenta maior durabilidade, resistência à corrosão e leveza – o que aumenta a capacidade de carga

Aluminum Extruders Council lança guia de peças extrudadas automotivas

O Aluminum Extruders Council (AEC), associação internacional dedicada a promover a utilização de produtos extrudados de alumínio na América do Norte, disponibilizou um guia automotivo interativo em seu site (www.aec.org/solutions).  A ferramenta permite visualizar todas as aplicações e compreender em profundidade o potencial dos produtos extrudados na redução de peso dos veículos, ajudando as fabricantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu