foto 4

Museu de Arte na China é revestido por 13 mil peças de alumínio

O Shimao usa tecnologia BIM para o arranjo da fachada

Inspirado em uma grande onda do mar, o Museu de Arte Shimao tem uma fachada imponente coberta por chapas de alumínio que fazem referência às escamas de um dragão.

Idealizada pelo escritório Lacime Architects, a instalação está localizada na região de Binhai, na Costa Leste de Tianjin, na China, e explora as múltiplas possibilidades da arquitetura contemporânea.

Segundo os arquitetos, a partir do uso da tecnologia Building Information Modeling (BIM), mais de 13 mil peças metálicas foram encaixadas no projeto de arquitetura, resultando em uma textura rítmica em espiral.

O arranjo de alumínio permite que o edifício reflita a luz do Sol em diferentes horários do dia. Além disso, o espelho d´água em volta da obra é um complemento, pois projeta luz sobre a fachada, produzindo uma aparência única na paisagem.

Ao todo, o complexo conta com três ambientes principais: o próprio museu de arte em formato de onda, um teatro ao ar livre e um espaço público, além de três terraços com vista para o mar.

Veja também:

Após ano atípico, setor da construção civil deve crescer em 2021

Devido à pandemia do novo coronavírus, a construção civil no Brasil viveu altos e baixos em 2020 e concluiu o período com recuo de -2,8%. No entanto, a projeção é de crescimento de 4% para este ano, em relação ao ano passado, na avaliação da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).  Segundo o economista

Norma técnica afere conteúdo reciclado em produtos de alumínio

Os greenbuildings – também conhecidos como “edifícios verdes” – têm sido projetados para reduzir os impactos à natureza. Afinal, o setor de Construção Civil é responsável por grande parte do consumo de recursos naturais do planeta — estima-se chegar a 75% do que é usado. Na concepção de novos empreendimentos, já há preocupação com a

Alumínio evoca o brilho da seda em fachada de teatro chinês

Há milhares de anos, a seda tem sido pintada e bordada por artistas na cidade de Guangzhou, localizada no Sul da China, para representar mitos e cenas da natureza em tapeçarias e mantos ornamentais. Foi a partir dessa inspiração que o escritório londrino SCA (Steven Chilton Architects) desenvolveu mais um projeto de vanguarda para a

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima