Viveiro da MRN

MRN divulga Relatório de Sustentabilidade 2020

Companhia investiu R$ 10 milhões apenas em ações de combate à pandemia

A Mineração Rio do Norte (MRN) publicou seu Relatório de Sustentabilidade 2020 e o conteúdo traz dados sobre o desempenho ambiental, social e de governança na produção de bauxita no distrito de Porto Trombetas, município de Oriximiná (PA).

“A publicação pontua como a empresa busca inovação constante em sua operação, investindo em tecnologias de ponta e melhorias e seguindo padrões internacionais de segurança”, explica Guido Germani, CEO da MRN.

Principais resultados
No ano passado, foram investidos R$ 3,4 milhões em ações integradas ao Programa de Educação Socioambiental (PES), que atende as diretrizes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e Política Nacional de Educação Ambiental.

A companhia cumpriu a meta de reflorestar uma área de 519 ha, acima da média anual que gira em torno de 350 a 400 ha. Para esse trabalho, foram utilizadas 537.352 mudas de 64 espécies nativas produzidas no viveiro florestal da empresa.

Foram direcionados ainda R$ 166 milhões para projetos e obras associadas à segurança das estruturas e para iniciativas voltadas para o monitoramento do ar, água, resgate da flora e fauna e gestão de resíduos, entre outras.

“Produzir bauxita com sustentabilidade vai além de resultados comerciais. É um compromisso de excelência na segurança e de contribuir com o desenvolvimento socioeconômico, cuidado e conservação ambiental da região em que a empresa está presente”, declara Vladimir Senra Moreira, diretor de Sustentabilidade e Jurídico da MRN.

Em 2020, a empresa firmou a parceria com o grupo Pela Vida no Trombetas, criado para minimizar os impactos da Covid-19 nos empregados, familiares e comunidades. A MRN investiu cerca de R$ 10 milhões em uma série de ações de combate à pandemia, como a ampliação do atendimento de saúde básica e medicina preventiva, por meio do Projeto Quilombo, beneficiando milhares de pessoas de 25 comunidades quilombolas e ribeirinhas.

A empresa implementou ainda o programa de diversidade e inclusão ‘MRN pra Todos’, que reúne eixos como gênero, gerações, raça e etnia, LGBTQIA+ e pessoas com deficiência PCD), promovendo a construção de um ambiente mais plural.

“É com esse olhar diverso, diálogo transparente, parcerias locais e boas práticas operacionais e socioambientais, como as compartilhadas nesse relatório de sustentabilidade, que a empresa vem construindo anualmente sua história na região”, destaca Karen Gatti, gerente de Comunicação da MRN.

Veja também:

Alcoa Poços de Caldas agenda auditoria para certificação ASI

A Alcoa de Poços de Caldas (MG) está se preparando para receber a certificação no padrão de desempenho da organização global Aluminium Stewardship Initiative (ASI). A auditoria está agendada para março de 2022. As unidades da companhia localizadas em São Luís (MA) e Juruti (PA) já conquistaram o selo. “Acreditamos que esse é um importante

Alubar cria link específico para PCDs em banco de talentos online

A Alubar, fabricante de cabos elétricos e vergalhões de alumínio, passou a disponibilizar um link específico no seu banco de talentos para pessoas com deficiência (PCDs) interessadas em vagas de emprego na planta paraense de Barcarena e no escritório global em São Paulo.  As inscrições devem ser realizadas exclusivamente na plataforma de recrutamento e seleção #SejaAlubar.

Albras conquista selo de ouro no Programa Brasileiro GHG Protocol

A Albras, produtora de alumínio primário pertencente à multinacional Hydro e à Nippon Amazon Aluminium (NAAC), obteve o selo de ouro no Programa Brasileiro GHG Protocol, pela 4ª vez consecutiva. A chancela atesta a qualidade no gerenciamento de gases de efeito estufa (GEE) de organizações-membro. O selo ouro demonstra a robustez e transparência do inventário

Rolar para cima