Manifesto (1)

Manifesto da ABAL destaca o papel do alumínio brasileiro para um futuro sustentável

Para entidade, produtos certificados e com baixa pegada de carbono serão fundamentais para a sociedade

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) divulgou na última sexta-feira (11/12) o Manifesto Alumínio Brasileiro para um Futuro Sustentável. O documento reafirma as vantagens do metal para uma economia circular e de baixo carbono – a partir da oferta de produtos e soluções verdes –, as iniciativas da indústria nacional neste sentido, além de apontar caminhos para que o setor se torne cada vez mais sustentável.

Leandro Faria, coordenador do Comitê de Sustentabilidade da ABAL, explica que, desde a extração de bauxita, passando por todos os elos da cadeia produtiva até a reciclagem do alumínio, já existem elementos sustentáveis importantes no País.

“As técnicas de reabilitação de áreas, que devolvem as áreas mineradas iguais ou melhores do que antes da operação; as boas taxas de reciclabilidade; e a matriz energética mais renovável, quando comparada a de outros países, são alguns exemplos”, afirma.

O Manifesto também reforça os impactos positivos dos produtos de alumínio, como por exemplo:

  • O legado social com a geração de valor para as comunidades do entorno das operações;
  • Os empregos diretos e indiretos;
  • A participação das empresas no Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU);
  • E o alinhamento delas com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Neste contexto, o alumínio é e continuará sendo um material essencial para diferentes mercados, principalmente quando estiver relacionado à inovação e sustentabilidade.

“No setor automotivo, por exemplo, o alumínio atua na redução do peso, que se traduz no menor consumo de combustível e na diminuição das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). A tendência de eletrificação dos veículos, por meio de baterias, também passará pelo futuro do metal”, exemplifica Leandro Faria.

Acesse aqui e leia o manifesto na íntegra

Veja também:

Covid-19: Alcoa transporta 200 cilindros de oxigênio para Juruti (PA) e região

Com o agravamento dos casos de Covid-19 no Pará, a Alcoa tem atuado para garantir a assistência médica para a população da região de Juruti, onde mantém uma operação com o minério de bauxita. Na terça-feira (26), a empresa realizou o transporte de 200 cilindros de oxigênio – adquiridos pelo Governo do Estado – tanto

ABAL anuncia mudança na presidência executiva

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) comunicou nesta terça-feira (26/01) que Milton Rego não ocupa mais o cargo de presidente-executivo da entidade. A decisão foi tomada em comum acordo com o Conselho Diretor. Segundo nota assinada pelo presidente do Conselho Diretor, Otavio Carvalheira, durante quase sete anos, Milton ajudou a consolidar a ABAL como porta-voz da indústria

Covid-19: MRN apoia instalação de rede de distribuição de oxigênio no Pará

Sensibilizada com o contexto da pandemia do novo coronavírus no Oeste do Pará, a Mineração Rio do Norte (MRN) anunciou o investimento de R$ 125 mil na obra para a instalação da rede de distribuição de oxigênio do Hospital de Oriximiná. O Objetivo é reforçar a infraestrutura para os atendimentos da região. Por solicitação da

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima