Aston_Martin_DBX01-jpg

Leve e potente, primeiro SUV da Aston Martin tem carroceria de alumínio

Apesar das dimensões imensas do DBX, aplicação do alumínio confere apenas 2.245 kg ao veículo

Os britânicos da Aston Martin, montadora especializada em esportivos de luxo, se renderam aos SUVs, veículos que caíram nas graças do consumidor. A empresa de 106 anos de história apresentou no Salão de Los Angeles, nos Estados Unidos, seu primeiro modelo do tipo, batizado de DBX.

O gigante tem 5,03 m de comprimento, 1,99 m de largura e entre-eixos de 3,06 m. Por baixo do capô, ronca um motor V8 4.0 turbo que entrega impressionantes 550 cv.

Diante de números tão “parrudos”, a leveza que só o alumínio pode oferecer: o DBX pesa 2.245 kg. Bastante para os SUVs que rodam pelas ruas brasileiras, de proporções menores, mas pouco diante da mecânica do grandão da Aston Martin.

Tal peso só é possível graças à carroceria feita de alumínio, material mais leve do que o aço. A leveza do chassi do DBX, combinada com o motor potente, faz o carro avançar de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos. A velocidade máxima é de 291 km/h.

De acordo com a montadora britânica, a carroceria de alumínio colado é feita utilizando uma técnica aprimorada do desenvolvimento do portfólio de carros esportivos. Isso permite uma estrutura leve e rígida.

Crédito da imagem de abertura: Divulgação

Veja também:

Pesquisa estima aumento de 24% no uso de alumínio em veículos leves na América do Norte até 2030

A mais recente pesquisa da Ducker Frontier, North American Light Vehicle Aluminium Content and Outlook, publicada em agosto, confirma a tendência de crescimento contínuo da participação do alumínio no conteúdo dos veículos leves na indústria automobilística norte-americana. Segundo o estudo, a presença do metal no conteúdo médio por veículo produzido deve subir para 233 kg

Tesla deve investir em máquinas gigantes de fundição de alumínio

Para garantir o uso mais avançado do alumínio no segmento automotivo, a Tesla – fabricante norte-americana de veículos elétricos – planeja substituir centenas de robôs por máquinas imensas de fundição. O investimento deve ser feito na planta da empresa localizada na Alemanha e a intenção é fabricar peças únicas de chassis, conforme divulgado pela Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu