track-type loader excavator machine doing earthmoving work at sand quarry

Ibram anuncia mudanças para maior profissionalização da mineração brasileira

Instituto acredita que alterações resultarão em mais confiança nos rumos da atividade no País

O Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) anunciou, no dia 21 de novembro, mudanças no Estatuto e no Regimento Interno. O objetivo é reforçar a estrutura de governança, ampliar a participação das mineradoras no Conselho, em novos comitês técnicos e também setoriais relacionados às variadas substâncias minerais, como a bauxita, matéria-prima do alumínio.

A criação desses comitês, de acordo com o Ibram, deve permitir a organização de debates mais aprofundados relacionados a cada tipo de minério. Estas e outras medidas irão conferir maior nível de profissionalização à gestão do instituto e tornar a representatividade mais democrática, abrangente e estratégica.

“O Ibram amplia a representatividade no universo da mineração brasileira e abre espaço para mais públicos se manifestarem e participarem da tomada de decisões. Vamos consolidar o Instituto como a voz do setor, desde as micro e pequenas até as médias e grandes companhias mineradoras”, diz Wilson Brumer, presidente do Conselho Diretor.

Atualmente, há 9.400 minas em operação no Brasil,  sob responsabilidade de 7.638 empresas mineradoras. Desse montante, 87,3% são microempresas, 11,5% pequenas e médias, e apenas 1,6% grandes.

“O Ibram não pretende substituir as demais entidades e associações representativas do setor. Todas exercem papel importante na defesa dos interesses da indústria minerária. A proposta é de união do segmento, de modo que a mineração seja, efetivamente, reconhecida pela sociedade como indutora do desenvolvimento econômico e social do País”, afirma o dirigente.

Você sabe como é feita a mineração de bauxita no Brasil? Com responsabilidade ambiental e compromisso com a comunidade. Confira nosso especial sobre o assunto!

Crédito da imagem de abertura: adobe.stock.com

Veja também:

Por que o alumínio é fundamental no combate ao novo coronavírus?

Com a chegada do novo coronavírus, causador da Covid-19, o Brasil entrou em estado de alerta. Os governos estaduais instituíram a quarentena para segurar o pico da pandemia, permitindo apenas a manutenção dos serviços considerados essenciais. Porém, dentro desse contexto, a indústria do alumínio também não pode parar. Para garantir segurança jurídica e abastecimento à

Coronavírus sobrevivem menos tempo em superfícies de alumínio?

Com o avanço da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), muitas pessoas receberam por mensagem de WhatsApp ou viram nas redes sociais informações de uma pesquisa que mostra quanto tempo o vírus resiste em determinadas estruturas, dentre elas, as de alumínio. Para evitar qualquer desinformação em um momento tão crítico, fomos atrás

Mulheres conquistam cada vez mais espaço na indústria do alumínio

O debate sobre igualdade ainda é amplo e a conscientização das empresas cresce na mesma proporção da participação das mulheres em diferentes papéis no mercado de trabalho, inclusive em áreas historicamente com maior concentração masculina. No setor do alumínio não é diferente. A profissional Sylvia Sanchez faz parte dessa história. Ela iniciou a carreira na

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu