AdobeStock_74410827

Com apoio da ABAL, Nova Lei do Gás é sancionada

Com maior competitividade na comercialização, custo da energia poderá ser reduzido para o consumidor industrial

Na última quinta-feira (8/4), o presidente da república, Jair Bolsonaro, sancionou a lei 14.134/2021, que trata do novo marco regulatório do gás natural no país. O texto altera o regramento das atividades relativas ao transporte de gás previstas no art. 177 da Constituição Federal, entre outras ações.  

A construção e ampliação de gasodutos pela iniciativa privada agora passam a ser realizadas por meio de autorização da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) – e não mais por concessão. A regra anterior demandava mais tempo e custos, e gerava menor atratividade de investimentos privados.

Segundo o Ministério da Economia, o objetivo é consolidar a formação de um mercado de gás natural aberto e competitivo, permitir a concorrência entre fornecedores, além de promover a redução do preço final do gás para o consumidor.

Atualmente, a tarifa de gás no Brasil é uma das mais altas do mundo (US$ 14 por milhão de BTU – unidade térmica britânica, na sigla em inglês), enquanto Estados Unidos e Europa registram, US$ 3 e US$ 7, respectivamente.  

O novo marco regulatório dispõe ainda sobre as atividades de escoamento, tratamento, processamento, estocagem subterrânea, acondicionamento, liquefação, regaseificação e comercialização de gás natural.

Indústria do alumínio
A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) foi uma das entidades setoriais atuantes em todo o processo de elaboração e aprovação da lei. Isso porque o gás é vital para essa cadeia produtiva, principalmente para produção de alumina — que origina o alumínio — e reciclagem do metal.

Segundo a entidade, a redução dos custos será fundamental para a retomada da produção de alumínio primário no País e para garantir maior competitividade da indústria.

Veja também:

Pará lidera ranking de exportações minerais no Brasil

O estado do Pará registrou o melhor desempenho nas exportações minerais do país, de janeiro a abril deste ano, com 57 milhões de t de produtos, o equivalente a US$ 8,1 bilhões. A informação foi divulgada no boletim econômico do Sindicato das Indústrias Minerais do Pará (Simineral), no dia 15 de maio, que também traz

Projeto Foco&Futuro, da ABAL, destaca inovação e sustentabilidade do setor do alumínio

O ‘Foco&Futuro: experiências que transformam’, iniciativa da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), promoveu na última quinta-feira, 13 de maio, a 2ª masterclass no canal do Youtube da Eureca, consultoria especializada em recrutamento de jovens e parceira no projeto. Na ocasião, representantes do grupo de mentores do hackathon deram dicas de conteúdo para os estudantes e

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima