Latinha

Centro de coleta da Novelis no RN alcança marca de 110 milhões de latinhas recicladas

Volume do empreendimento em Natal vem desde o início da operação, em outubro de 2019

A Novelis anunciou que já processou aproximadamente 110 milhões de latas usadas de bebidas nos primeiros seis meses de operação no seu centro de coleta de Natal. O espaço, inaugurado em outubro de 2019, tem capacidade de processamento de 600 t de latas de sucata de alumínio por mês.

Segundo a empresa, o empreendimento ampliou a atuação das atividades de reciclagem no Nordeste e possibilitou o aumento na compra de latas de bebidas usadas na região, gerando parcerias com as cooperativas locais e com pequenos e médios fornecedores de sucata.

“A lata é a embalagem para bebidas mais sustentável e a indústria tem um papel fundamental na conscientização sobre a importância da reciclagem: além de reduzir o fluxo de resíduos, gera milhares de empregos diretos e indiretos em toda a cadeia. A Novelis tem seu modelo de negócio baseado na economia circular e busca, com base em sua atuação, o aumento da relevância dessa atividade e fortalecimento do desempenho local”, afirma Alfredo Veiga, diretor de Suprimento de Metal da Novelis.

A Novelis conta hoje com 11 centros distribuídos pelo Brasil e planeja inaugurar novos espaços — em 2018, o índice de reciclagem de latas de alumínio no Brasil foi de 96,9%.

“Como maior recicladora de latas de alumínio do Brasil, a empresa compra o material coletado de forma contínua durante todo o ano. E isso é especialmente importante em momentos de incerteza como o atual”, destaca Veiga.

Veja também:

Ball investe no e-commerce de bebidas em lata com campanha exclusiva

Com foco nos novos hábitos de consumo gerados pelo isolamento social, a Ball, fabricante de latas de alumínio, acaba de lançar o canal vadelatastore.com.br, junto com a campanha “Um brinde é o melhor presente”. Por meio da ação, os consumidores poderão enviar packs de latinhas, acompanhados por um cartão exclusivo do artista Pedro Henrique, autor

“Setor de embalagens é o que menos sofre, mas houve redução do consumo”

A crise sanitária causada pelo novo coronavírus impactou vários segmentos consumidores de alumínio. No entanto, o de embalagens tem sido mais resiliente, como explicou Milton Rego, presidente-executivo da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) durante live promovida pelo Instituto de Embalagens, no dia 11 de junho. Segundo Rego, como esse mercado está ligado aos insumos essenciais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu