AIB-Performance-Data-PR-May-2021 (1)

Baterias de íons de alumínio: mais eficiência e sustentabilidade

Tecnologia desenvolvida por universidade australiana proporciona maior vida útil, carregamento mais rápido e processo de reciclagem mais simples em relação às de íons de lítio

O Instituto Australiano de Bioengenharia e Nanotecnologia, da Universidade de Queensland, na Austrália, e o Grupo GMG (Graphene Manufacturing Group) anunciaram o início da produção dos primeiros protótipos comerciais de baterias de íons de alumínio com eletrodos de grafeno. 

A tecnologia tem potencial para transformar o mercado de baterias recarregáveis em alguns anos, colocando-se como uma alternativa mais eficiente e sustentável às baterias de íons de lítio, atual padrão do mercado. As aplicações vão desde veículos elétricos e unidades de armazenamento em rede, até smartphones, notebooks e outros dispositivos eletrônicos. 

“Após muitos anos dedicados à pesquisa e desenvolvimento das baterias de íons de alumínio, estamos muito animados por entrar na fase de produção dos protótipos comerciais”, declara o professor Alan Rowan, diretor do Instituto Australiano de Bioengenharia e Nanotecnologia da Universidade de Queensland. 

As novas baterias de íons de alumínio oferecem vida útil mais longa, três vezes superior às atuais de lítio. Permitem mais de 2 mil ciclos de carregamento sem perda de performance e sua densidade de energia é superior a 7 mil W/kg, o que lhe dá outra vantagem: carregamento até 70 vezes mais rápido.

A nova tecnologia também é mais sustentável, uma vez que possui impacto ambiental muito menor, facilitando a reciclagem já que reduz o potencial de vazamento de metais perigosos no meio ambiente.

O alumínio é abundante na natureza e é infinitamente reciclável, em contraposição à disponibilidade restrita do lítio. Além disso, a obtenção desse último demanda a extração de terras raras, cujo processamento consome grande quantidade de água e usa produtos químicos potencialmente danosos ao meio ambiente. 

“A reciclabilidade das atuais baterias é problemática devido às suas propriedades químicas. O armazenamento de baterias que chegaram ao final de seu ciclo de vida representa um grande e crescente problema de segurança pública”, afirma Ashok Nanjundan, chefe dos cientistas do Grupo GMG.

O Grupo GMG planeja finalizar os primeiros protótipos de baterias do tipo pilha até o final de 2021; as do tipo bolsa ficarão para o final de 2022. A companhia também será responsável pela futura produção comercial das baterias de íons de alumínio. 

O alumínio já é o material escolhido para a produção de compartimentos de baterias dos veículos elétricos, graças à combinação de leveza e resistência. Além disso, o metal oferece maior capacidade de troca de calor, fundamental para o resfriamento das baterias de lítio.

Veja também:

Consumo de alumínio tem alta de 25,2% no 1º semestre de 2021

A pesquisa de mercado consolidada pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) no primeiro semestre de 2021 revela que o consumo doméstico de produtos transformados cresceu 25,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O volume total foi de 805 mil t, sendo 88% de origem nacional e o restante de importações. “O bom desempenho

Balança comercial: alumínio registra superávit no primeiro semestre de 2021

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 registrou superávit de US$ 623 milhões (valor FOB, sigla em inglês para designar o frete em que a responsabilidade pelo transporte da mercadoria é do cliente). O resultado positivo se deve, principalmente, às exportações de alumina

Albras ocupa segunda posição no ranking nacional de comercialização da liga PFA

A Albras, subsidiária da multinacional norueguesa Hydro na produção de alumínio primário, tem se destacado no mercado de liga PFA (lingote com liga de silício), utilizada em larga escala pela indústria automotiva. Desde o lançamento do produto no seu portfólio, em 2019, a empresa ampliou em 100% a produção e já é a segunda maior

Rolar para cima