Audi has more than fulfilled its CO2 fleet target for Europe in 2020 on the basis of preliminary figures. With a calculated average of 101.5 g/km, the company lay well below the legally required value of 105.6 g/km. The Audi e-tron model line and plug-in hybrids of the brand have a positive effect on the fleet figures. In the picture: 
Audi A3 Sportback 40 TFSI e: Combined fuel consumption in l/100 km: 1.5–1.4; combined electric power consumption in kWh/100 km: 13.8–13.0; combined CO2 emissions in g/km: 34–30 
Audi Q3 45 TFSI e: Combined fuel consumption in l/100 km: 1.7–1.4; combined electric power consumption in kWh/100 km: 16.0–14.4; combined CO2 emissions in g/km: 39–32
Audi Q8 60 TFSI e quattro: Combined fuel consumption in l/100 km: 2.8–2.7 (84.0–87.1 US mpg); Combined electric power consumption in kWh/100 km: 22.9–22.6; Combined CO2 emissions in g/km: 63–62 (101.4–99.8 g/mi)

Audi é certificada por uso de alumínio sustentável de ponta a ponta da cadeia

Concedido para as plantas de Ingolstadt e Neckarsulm, na Alemanha, selo ASI de Cadeia de Custódia assegura que sua produção respeita os padrões de sustentabilidade

A Audi tornou-se a primeira fabricante de automóveis a receber a Certificação de Cadeia de Custódia (CoC) da Aluminium Stewardship Initiative (ASI). Global e sem fins lucrativos, a organização define normas para o desempenho de sustentabilidade para a cadeia de valor do alumínio.

A companhia já havia se tornado a primeira fabricante a ser certificada pela ASI, em 2018, pelo Padrão de Performance (Performance Standard Certification) na gestão do alumínio e fabricação sustentável dos compartimentos de bateria do Audi e-tron. Por outro lado, vale lembrar que o metal está presente na produção de veículos da Audi desde 1990.

“As certificações ASI demonstram o comprometimento da Audi com o desenvolvimento sustentável não apenas de sua atividade, mas de toda a cadeia de produção. Acreditamos que dessa forma os consumidores fortalecem sua confiança na marca, pois sabem que estão escolhendo um produto de uma empresa que toma decisões ambientalmente corretas.” declara a Audi do Brasil, em nota oficial ao portal Revista Alumínio

A certificação foi concedida para as instalações de Ingolstadt e Neckarsulm, ambas na Alemanha, garantindo que a produção nas duas plantas respeita os padrões de sustentabilidade de ponta a ponta — da extração da bauxita até o processo de ciclo fechado junto aos fornecedores. 

Em outras palavras, além da sustentabilidade de todo o alumínio utilizado na produção e de seus processos, o certificado atesta também que a sucata gerada nas linhas de montagem da marca é retida e inserida de volta na cadeia de produção por meio da reciclagem. Segundo a Audi, isso evitou, apenas em 2019, a geração de 150 mil t de CO2.

A Audi firmou compromisso global de ser uma empresa 100% neutra no balanço de carbono até 2050 e, como parte desse objetivo, a empresa planeja lançar 30 modelos eletrificados até 2025. Em relação ao alumínio, mais fábricas estão no caminho para receber o selo CoC ainda em 2021 — a próxima deve ser a de Györ, na Hungria. 

A empresa afirma estar comprometida a trabalhar com fornecedores que vão ao encontro de tais exigências e destaca que “a ASI tem como foco a utilização mais eficiente do metal, com o objetivo de preservar recursos naturais e limitar a demanda por alumínio primário. Mas também leva em consideração questões éticas, ecológicas e sociais”.

Veja também:

Volkswagen inaugura centro de reciclagem de baterias de veículos elétricos

A Volkswagen inaugurou, no final de janeiro, sua primeira instalação para reciclagem de baterias de veículos elétricos em Salzgitter, na Alemanha. Na fase inicial, a planta terá capacidade para reciclar 3.600 sistemas de baterias por ano, o equivalente a, aproximadamente, 1.500 t.   É mais um passo no projeto que o grupo alemão vem desenvolvendo há

Alumobility quer fomentar uso do alumínio na indústria automobilística

Novelis e Constellium acabam de criar a Alumobility, organização sem fins lucrativos focada em oferecer às fabricantes de automóveis soluções inovadoras e prontas para serem implementadas, de modo a aumentar a adoção das chapas de alumínio automotivo.  O objetivo da Alumobility é ajudar a desenvolver veículos mais leves, seguros, sustentáveis e inteligentes. Isso se dará

Para a Anfavea, eletrificação de veículos depende de política nacional

Diferente do que acontece em alguns países do exterior, o Brasil ainda não entrou na chamada rota elétrica da indústria automobilística, quando a matriz que move os automóveis passa a ser elétrica e não à combustão. Segundo Luiz Carlos Moraes, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), para que isso aconteça, é

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima