2021 new year, red number on steel metal pipes tubes, background. Utilities, construction industry concept. 3d illustration

As reportagens de 2021 mais acessadas no portal Revista Alumínio

Conheça o top 10 das reportagens mais acessadas no período

Este ano foi marcado por avanços na vacinação da população brasileira contra o novo coronavírus e a gradual reabertura do comércio e serviços. A indústria do alumínio apresentou boa performance e recuperação, com a expectativa de ultrapassar o patamar recorde do consumo doméstico de produtos transformados obtido em 2013, quando houve pico de 1.513 t.

Apesar das incertezas políticas e econômicas no país, o setor não parou de investir. O mercado de latas de alumínio para bebidas, por exemplo, registrou aumento expressivo de 22,6% no primeiro semestre em relação a igual período de 2020. E as empresas seguiram expandindo.

A Alcoa fez dois movimentos importantes em 2021: investimento de R$ 310 milhões na metodologia de Filtro Prensa na unidade de Poços de Caldas (MG), com previsão de conclusão em 2022; e a retomada da produção de alumínio primário na Alumar – consórcio formado pela Alcoa, Rio Tinto e South32 – em São Luís (MA).

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) revelou a intenção de aplicar R$ 4 bilhões em expansões até 2025, na exploração de bauxita e produção de alumínio primário. Além disso, a empresa abriu capital na B3.

Já a Novelis concluiu a ampliação da fábrica de Pindamonhangaba (SP) – o maior complexo de laminação e reciclagem de alumínio da América Latina.

A indústria do alumínio também se fortaleceu como produtora do metal de baixo carbono, com crescimento nas áreas de reciclagem, diversificação da matriz energética, novas tecnologias e projetos diversos voltados à sustentabilidade.

Confira abaixo as reportagens deste ano mais acessadas em nosso portal em 2021:

1º — Com alumínio, Coronavac é responsável por 74% das vacinações contra a Covid-19
Em maio, o Instituto Butantan tinha a expectativa de concluir o envio de mais 4,1 milhões de doses da Coronavac ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. Até então, o imunizante era responsável por 74% das vacinações feitas no país.

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a biofarmacêutica Sinovac utiliza o alumínio como adjuvante. Trata-se de uma substância que melhora a resposta imunológica do ser humano ao estimular a produção de anticorpos.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

2º — Crown Embalagens investe em nova fábrica em Uberaba (MG)
Logo no início do ano, a companhia anunciou a intenção de instalar uma nova unidade em Uberaba (MG). A fábrica terá capacidade de produção de 2,4 bilhões de latas de alumínio para bebidas por ano e deve gerar mais de 100 empregos diretos. A conclusão está prevista para 2022.

A Crown Embalagens já está presente em Cabreúva (SP), Estância (SE), Ponta Grossa (PR), Rio Verde (GO), Teresina (PI) e Manaus (AM). No final de 2020, a empresa também anunciou a expansão da fábrica de Goiás, onde está aplicando mais de R$ 300 milhões.

 Acesse aqui a reportagem na íntegra

3º — Após ano atípico, setor da construção civil deve crescer em 2021
Devido à pandemia do novo coronavírus, a construção civil viveu altos e baixos em 2020 e concluiu o período com recuo de 2,8%. No entanto, a projeção em fevereiro era de crescimento de 4% para este ano, em relação ao ano anterior, na avaliação da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). 

Segundo o economista Fernando Garcia, fundador da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em São Paulo, o setor sofreu dois efeitos controversos em 2020: o da tendência positiva e, depois, o da pandemia, os quais mexeram com toda a economia. O especialista fez uma análise completa do setor.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

4º — Barcarena: a cidade da Amazônia que virou polo industrial de alumínio
Em abril, o portal divulgou uma reportagem especial sobre a cidade de Barcarena, no Nordeste do Estado do Pará. Com cerca de 130 mil habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município está cercado por belezas naturais: áreas de floresta, rios, ilhas e praias, como a famosa Caripi.

No último século, a cidade passou por grandes transformações. Devido à sua localização estratégica, viabilizou a instalação de um porto de exportação com grande capacidade de escoamento — o Porto de Vila do Conde, o maior do Pará. Atraiu ainda investimentos públicos e privados para instalação de indústrias de beneficiamento de minérios, como a bauxita, que dá origem ao alumínio.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

5º — Prolind Alumínio inaugura nova fábrica de refusão
Em fevereiro, a Prolind Alumínio – empresa que atua no desenvolvimento de produtos e soluções com o metal para diversos segmentos de mercado – inaugurou uma fábrica de refusão em São José dos Campos (SP).

A planta tem capacidade produtiva de 50 mil t de alumínio por ano, em sua primeira fase. Com isso, a empresa espera crescer 120% em 2021, se comparado ao ano anterior, e gerar 100 novos empregos.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

6º — Alcoa investe R$ 310 milhões em filtro prensa para unidade de Poços de Caldas (MG)
Em junho, a Alcoa anunciou o investimento de cerca de R$ 310 milhões na mudança de tecnologia de disposição de resíduo de bauxita na unidade de Poços de Caldas (MG). Depois de quase sete anos de estudos, será utilizada a metodologia de filtro prensa. O início das obras se deu em agosto e a previsão de conclusão é para o final de 2022.

Na prática, o projeto consiste na instalação de uma planta de filtração na refinaria, que gera o resíduo seco, com apenas 30% de umidade, e direciona a água retirada de volta ao processo produtivo. O resíduo seco será transportado em caminhões e descarregado em uma nova área de disposição, onde será compactado.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

7º — CBA pretende investir R$ 4 bilhões em expansões até 2025
Em agosto, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) informou que investirá R$ 2 bilhões na exploração de bauxita e mais R$ 2 bilhões no aumento da capacidade da produção de alumínio primário até 2025.

Um dos objetivos da empresa é retomar a capacidade mantida até 2014. As salas-fornos 1 e 3 da operação na cidade de Alumínio (SP) serão religadas até 2025. A medida deve adicionar 80 mil t por ano à atual capacidade instalada, que é de 350 mil t.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

8º — Alcoa retomará a produção de alumínio na Alumar, suspensa em 2015
Em setembro, a Alcoa Corporation anunciou que reiniciará a sua capacidade de produção de 268 mil t métricas de alumínio por ano na Alumar, em São Luís. 

A unidade de redução é de propriedade conjunta com a South32, com capacidade operacional total de 447 mil t métricas. Por conta do Custo Brasil, a operação foi interrompida em 2015.

O custo do processo de retomada será de R$ 400 milhões, com a contratação de 750 funcionários diretos. A entrega do primeiro lingote de alumínio está prevista no segundo trimestre de 2022.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

9º — Novelis conclui investimento de R$ 750 milhões na fábrica de Pindamonhangaba
Em agosto, a Novelis entregou a expansão da fábrica localizada em Pindamonhangaba (SP), no Vale do Paraíba. Considerado o maior complexo de laminação e reciclagem de alumínio da América Latina, a planta atinge a capacidade total anual de 680 mil t na produção de chapas e 490 mil t na reciclagem.

A companhia já trabalha com um novo aumento da capacidade da fábrica, o qual deve envolver cerca de R$ 2,5 bilhões e contemplar o que há de mais moderno no setor.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

10º — Hydro se fortalece como produtora de alumínio de baixo carbono
Em fevereiro, a Hydro definiu como prioridades para 2021 a segurança dos profissionais no enfrentamento da Covid-19 e a disciplina de custos e uma série de iniciativas para apoiar a estratégia global para 2025.

A companhia está concentrada em fortalecer a sua posição como produtora de alumínio de baixo carbono, com crescimento nas áreas de reciclagem e novas energias, de olho nas oportunidades das megatendências mundiais.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

Veja também:

CBA investe em tecnologia para ser ainda mais eficiente

Em entrevista ao Liderança Digital, série promovida pelo Valor Econômico, Ricardo Carvalho, presidente da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), falou sobre a importância das novas tecnologias para maior competitividade da indústria do metal.   Segundo o dirigente, a empresa lançou a jornada CBA 4.0 em 2018, que envolve pessoas, processos, tecnologia e cibersegurança, e trabalha

Alumínio contribui com a sustentabilidade de eventos

Na pré-pandemia, a indústria de eventos movimentava R$ 854 bilhões por ano no Brasil e representava 13% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, de acordo com dados divulgados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Ministério do Turismo. Apesar do forte impacto e das incertezas causadas pela crise sanitária, a preocupação

Daniel Marrocos Camposilvan assume diretoria de Energia da CBA

O Conselho de Administração da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) aprovou a indicação de Daniel Marrocos Camposilvan para o cargo de diretor do Negócio Energia. O profissional assume o posto a partir de 1° de fevereiro de 2022. A empresa tinha comunicado, em outubro de 2021, a decisão de gerir internamente a operação de suas

Rolar para cima