SSUCv3H4sIAAAAAAACAzWOvQ7CMAyE38VzJEBsGdmQ4AkqBpOYyGqaSPkpQlXfHbvQzec73XcLPLGyA7sAx9hrK9g4J7AnA+S55cIYwR5XA7Vh65WqZEU5bBTE3fReMiz6BwuXztFzCvVww+QnLGMFaehP8a7J51xgNXtYHgpW0J65Y+ovdIpPAdaHAQyU3EfZAi8UCbcpg1jju1GZ/rtm9pR/J3bPesKcHUbxz7pbUHnaer7yePs9/AAAAA==

Após queda em 2020, consumo de alumínio deve crescer mais de 10% em 2021

No entanto, mercado não deve alcançar o volume per capita de 2014

A cadeia produtiva do alumínio não parou de produzir durante a pandemia do novo coronavírus, mas houve redução de 4% na demanda anual, estimada em 1,5 milhão de t.

A previsão, no entanto, é de crescimento de 10,2% para 2021. A informação foi dada por Milton Rego, presidente-executivo da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), durante live promovida pela Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (Afeal).

“Se considerarmos o aumento da população brasileira, no ano que vem ainda não chegaremos ao consumo per capita de alumínio registrado em 2014”, ressalta.

A queda em 2020 foi impactada pelo desempenho dos principais segmentos consumidores de alumínio diante do cenário de pandemia. Atualmente, Transportes, Construção Civil, Embalagens e Energia correspondem a 85% da demanda do metal no Brasil.

Na avaliação do dirigente da ABAL, o setor de Transportes foi o mais afetado e deve demorar para retomar os níveis de 2019. Já a Construção Civil teve o segundo trimestre ruim, com reação e recuperação nos períodos seguintes.

Já na área de Embalagens, dois cenários foram evidentes ao longo da pandemia: o fechamento de bares, restaurantes e o cancelamento de eventos. E, por outro lado, houve aumento da compra de alimentos e bebidas em domicílio, o que contrabalançou o mercado.

Veja também:

Covid-19: Alcoa transporta 200 cilindros de oxigênio para Juruti (PA) e região

Com o agravamento dos casos de Covid-19 no Pará, a Alcoa tem atuado para garantir a assistência médica para a população da região de Juruti, onde mantém uma operação com o minério de bauxita. Na terça-feira (26), a empresa realizou o transporte de 200 cilindros de oxigênio – adquiridos pelo Governo do Estado – tanto

ABAL anuncia mudança na presidência executiva

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) comunicou nesta terça-feira (26/01) que Milton Rego não ocupa mais o cargo de presidente-executivo da entidade. A decisão foi tomada em comum acordo com o Conselho Diretor. Segundo nota assinada pelo presidente do Conselho Diretor, Otavio Carvalheira, durante quase sete anos, Milton ajudou a consolidar a ABAL como porta-voz da indústria

Covid-19: MRN apoia instalação de rede de distribuição de oxigênio no Pará

Sensibilizada com o contexto da pandemia do novo coronavírus no Oeste do Pará, a Mineração Rio do Norte (MRN) anunciou o investimento de R$ 125 mil na obra para a instalação da rede de distribuição de oxigênio do Hospital de Oriximiná. O Objetivo é reforçar a infraestrutura para os atendimentos da região. Por solicitação da

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima