Berços de madeira dão mais estabilidade no transporte de cabos elétricos

Alubar investe em redução e reaproveitamento de resíduos industriais

Com parcerias locais, empresa garante maior produtividade nas plantas pelo país

A Alubar está colocando em prática diversos projetos para reduzir e reaproveitar os resíduos gerados em suas unidades produtivas localizadas nos estados do Pará e Rio Grande do Sul.

No ano passado, considerando a proporção volume de resíduo e tonelada produzida, a empresa já registrou diminuição na emissão de lodo em sua estação de tratamento de efluentes, materiais recicláveis (papel, papelão e plástico), sucatas de alumínio e de cobre e polietileno (XLPE), entre outros.

No Pará
Na unidade paraense de Barcarena, por meio de parceria com a Madem, os berços de madeira usados para embarque de bobinas de cabos elétricos foram redimensionados. Com isso, houve redução de 43% no consumo de madeira para fabricar o produto e economia de 36% no valor de compra de matéria-prima.

Paralelamente, a partir de um acordo com a Construservice, os resíduos de madeira gerados no fechamento de carretel passaram a ser reutilizados para fabricação dos berços, dando mais estabilidade no transporte dos produtos. Houve redução de 100% do consumo de madeira nova e de 60% no custo de aquisição da matéria-prima para produção de berços.

Na mesma planta, foi colocada em prática melhorias para diminuir o consumo do óleo de lubrificação utilizado na fabricação de fios elétricos. Para isso, a empresa lançou mão de drenagem e filtragem do óleo do borrifador. Por semana, em média, 18 litros de óleo são reutilizados.

No Rio Grande do Sul
Na unidade gaúcha de Montenegro, a Alubar encontrou compradores interessados em reutilizar 100% dos resíduos de madeira, papel, papelão, plástico, ferro e óleo gerados pela fábrica. Assim, além de dar o destino adequado aos materiais, a empresa ainda obteve retorno financeiro com a venda dos resíduos em 2020.

Houve também o reaproveitamento de 100% dos tambores de óleo vazios.

Aliado a um fornecedor local, a empresa ainda revitalizou essas embalagens, a custo zero, para reutilizá-las como recipientes de coleta seletiva.

“Na Alubar, todos os dias somos desafiados a melhorar a nossa gestão e a estar 24 horas de olho no meio ambiente. Os avanços em todas as unidades não param. Precisamos estar sempre atentos ao tripé da sustentabilidade — as pessoas, a economia e o meio ambiente. Trabalhamos não apenas para atender as legislações, mas também para envolver todos no compromisso da preservação ambiental”, declara Hélido Sena, gerente do Controle da Qualidade e Meio Ambiente da companhia.

Veja também:

Balança comercial: alumínio registra superávit no primeiro semestre de 2021

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 registrou superávit de US$ 623 milhões (valor FOB, sigla em inglês para designar o frete em que a responsabilidade pelo transporte da mercadoria é do cliente). O resultado positivo se deve, principalmente, às exportações de alumina

Novo IPad tem estrutura com alumínio 100% reciclado

Com foco no meio ambiente, os novos iPad e iPad mini têm estrutura com alumínio 100% reciclado e estão disponíveis nas cores prateado e cinza-espacial. Segundo a Apple, fabricante dos equipamentos, todos os modelos da linha contam com o metal. Atualmente, as operações corporativas globais da empresa são neutras em emissões de carbono. No entanto,

Alcoa completa 12 anos de investimentos em Juruti (PA)

Nesta quarta-feira, 15 de setembro, a Alcoa completa 12 anos desde a sua chegada no município de Juruti (PA), onde mantém uma mina de bauxita e movimenta o porto local. Além da preocupação com os negócios, a companhia mantém um olhar para o futuro da cidade, a partir de investimentos em diversas áreas, como a

Rolar para cima