AlubarMontenegro ok

Alubar completa um ano de operação na fábrica de Montenegro (RS)

Planta de cabos de alumínio, adquirida em 2019, recebe diversos investimentos em equipamentos e mão de obra especializada

Para expandir a atuação no segmento de condutores elétricos para linhas de transmissão e distribuição na América Latina, o Grupo Alubar comprou, em novembro de 2019, os ativos da unidade fabril da Fujikura. Desde então, foram contratadas mais de 60 pessoas e adquiridos novos equipamentos, elevando a capacidade produtiva de 1.000 para 1.400 t/mês.

“Essa é uma fábrica que, desde o início, tem a cara da Alubar, mas possui sua própria característica, carregando a tradição e a cultura do povo gaúcho. Ver o empenho e a dedicação de todos em sempre fazer o melhor, mostra que estamos no caminho certo e que podemos continuar contribuindo para que o Grupo Alubar se desenvolva cada vez mais”, destaca Jonnys Sales, gerente Geral da unidade.

Segundo a companhia, apesar de ter atravessado por momentos desafiadores em meio à pandemia do novo coronavírus, a unidade tem participado de importantes empreendimentos de transmissão de energia elétrica. Um deles, o Projeto Gralha Azul, realizado pela Engie Brasil no Paraná, e em fase de construção, passa por 14 municípios paranaenses.

Veja também:

Evento ABAL Insights: 2021 deve ser positivo para a indústria do alumínio

O mercado global de alumínio, os efeitos da pandemia da Covid-19 e os cenários para 2021 foram tema do ABAL Insights, evento on-line realizado pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) para os seus associados no dia 7 de abril. Ross Strachan, analista sênior de Alumínio Primário e Produto Transformado da CRU International, apresentou uma visão

Novelis pretende zerar as emissões líquidas de carbono até 2050

A Novelis – companhia que atua na laminação e reciclagem de alumínio – divulgou novas metas de sustentabilidade. Entre elas, prevê reduzir, até 2026, em 30% a pegada de carbono, 10% do uso de água e energia e 20% do descarte de resíduos em aterros. A empresa revelou, ainda, a ambição de zerar as emissões

Albras amplia coprocessamento de resíduo gerado na produção de alumínio

As indústrias têm estudado a destinação do revestimento gasto de cuba (RGC), originado em um dos primeiros processos da produção do alumínio, para outras cadeias produtivas. Na Albras, esse resíduo recebe um beneficiamento inicial para ser encaminhado às indústrias cimenteiras. A meta da subsidiária da Hydro é ampliar o coprocessamento em 50% este ano. João

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima