Foto Alcoa ok

Alcoa Juruti abre área de reabilitação para animais silvestres

Centro integra estrutura de operação da mina de bauxita da empresa

No Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado na última sexta-feira (5/6), a Alcoa Juruti inaugurou o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras). Voltado para o atendimento e recuperação de espécies de pequeno, médio e grande portes, o local passa a fazer parte da estratégia da empresa para conservação da fauna local, envolvendo todos os colaboradores e a comunidade.

Com estrutura completa – ambulatório, farmácia, salas de antissepsia, necropsia, nutrição e creche para os filhotes, além de centro cirúrgico e área para tratamento neonatal –, o Cras funcionará 24 horas por dia e conta com equipe composta por cinco médicos veterinários e quatro auxiliares. A unidade tem capacidade para receber até 12 animais de quatro grupos faunísticos – mamíferos, répteis, aves e anfíbios.

“Este é um dos diferenciais do centro de reabilitação: temos uma equipe completa a postos para atender a qualquer momento. Essa unidade reforça o compromisso da Alcoa em zelar pela vida e pela integridade da flora e da fauna presentes no entorno de nossas operações”, destaca Lucy Jesus, gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Alcoa Juruti.

Credito da imagem: Alcoa Juruti

Veja também:

Estudo aponta futuro promissor para a indústria do alumínio

Uma avaliação inicial sobre o impacto da pandemia da Covid-19 na demanda global de alumínio feita pela consultoria CM Group, a pedido do International Aluminium Institute (IAI), revela que embora seja inevitável a queda em 2020, ainda há otimismo significativo para os próximos 30 anos: a previsão é que a demanda possa atingir 298 milhões

Alunorte e UFPA vão realizar pesquisa sobre o uso do resíduo de bauxita

A Alunorte, refinaria de alumina da Hydro, e a Universidade Federal do Pará (UFPA) firmaram parceria para um projeto de pesquisa, com duração de 18 meses, para estudar a viabilidade de produção de cimento de baixo carbono a partir da mistura do resíduo de bauxita com outras matérias-primas abundantes no Norte do Brasil. A iniciativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu