sistema de sprays Alcoa em Juruti. Foto-Alcoa (2)

Alcoa e MRN investem em novas tecnologias e inovação

Objetivo é garantir maior sustentabilidade para as operações

As indústrias da cadeia produtiva do alumínio têm adotado ferramentas e soluções que possibilitam o aumento do ritmo de produção, redução de custos, segurança para os colaboradores e menos impacto ao meio ambiente.

Na Alcoa Juruti, no Estado do Pará, a instalação de um novo sistema de sprays permitiu a melhoria na etapa de lavagem da bauxita, com menor consumo de água e maior qualidade do produto.

“Substituímos o sistema de sprays por um dimensionado para nosso processo. As novas flautas possuem um sistema interno de limpeza que nos permite realizar a desobstrução dos bicos sem parar a produção. Além disso, o novo layout das tubulações proporciona maior pressão, aumento da eficiência de lavagem, redução de riscos na atividade de limpeza dos bicos e maior produtividade na manutenção das peneiras”, detalha Rafaela Oliveira, engenheira de Processos.

Para reduzir a velocidade de passagem do produto e proporcionar uniformidade do material em toda a superfície da peneira, foram instalados dispositivos especiais. Além disso, uma bomba booster garante melhor pressurização no jateamento de água, otimizando o uso do recurso natural. Atualmente, cerca de 70% da água no processo da Alcoa Juruti é reaproveitada.

MRN 

Na Mineração Rio do Norte (MRN) uma experiência bem-sucedida é o projeto de redução do custo da operação de transporte de bauxita nas minas, processo que gerou mais produtividade e segurança para os empregados. A iniciativa envolveu o uso de caminhões semirreboques, com maior capacidade de carga (70 t) em relação a frota anterior.

“Com a redução de 44 caminhões que trafegavam diariamente, diminuímos 30% da exposição dos empregados ao risco “, revela Rogério Junqueira, diretor de Operações da MRN.

Entre outras ações inovadoras da companhia estão: a utilização de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) para acompanhamento de atividades e inspeções, a implantação dos aplicativos Construcode e SGG e o uso da tecnologia Georadar Portátil Terrestre (GPR) para o mapeamento, controle de lavra e orientação da sondagem.

Veja também:

Consumo de alumínio tem alta de 25,2% no 1º semestre de 2021

A pesquisa de mercado consolidada pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) no primeiro semestre de 2021 revela que o consumo doméstico de produtos transformados cresceu 25,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O volume total foi de 805 mil t, sendo 88% de origem nacional e o restante de importações. “O bom desempenho

Estudos conduzidos pela CBA e UFV são destaque internacional

A parceria entre a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV) continua rendendo bons resultados e reconhecimentos na área ambiental. Diversas pesquisas sobre restauração florestal, conservação hídrica e reabilitação ambiental foram temas de publicações científicas do mundo inteiro. “Nossa busca pela eficiência e o investimento contínuo em inovação tecnológica estão

Balança comercial: alumínio registra superávit no primeiro semestre de 2021

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 registrou superávit de US$ 623 milhões (valor FOB, sigla em inglês para designar o frete em que a responsabilidade pelo transporte da mercadoria é do cliente). O resultado positivo se deve, principalmente, às exportações de alumina

Rolar para cima