Alcoa

Alcoa apresenta case de sucesso de Juruti em evento sobre Amazônia

Iniciativa já beneficiou 10 mil pessoas em 138 comunidades do Oeste do Pará

Durante o Seminário Parcerias do Setor Privado pela Conservação da Amazônia, realizado pela Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), em Belém (PA), a Alcoa falou sobre a experiência com o Instituto Juruti Sustentável (Ijus), com destaque para a iniciativa do Fundo Juruti Sustentável (Funjus), no painel temático sobre “Desenvolvimento Territorial”.

Fábio Abdala, gerente de Sustentabilidade da Alcoa Brasil, destaca que o encontro foi positivo pela troca de conhecimento, experiências e boas práticas. “Tivemos a chance de conhecer iniciativas interessantes baseadas na biodiversidade e na aceleração de negócios, assim como a oportunidade de compartilhar nossas experiências em Juruti e mostrar como o desenvolvimento nos territórios de mineração pode ser feito de maneira integrada com a comunidade, governo e empresas.”

Criado há 11 anos, com aporte de R$ 3,5 milhões pela Alcoa no período de instalação do projeto de mineração, o Funjus é totalmente independente, gerido pelo Ijus. Ao todo, já foram executados 42 projetos, beneficiando cerca de 10 mil pessoas em 138 comunidades, sediadas em seis municípios do Oeste do Pará, incluindo Juruti, município em que a Alcoa opera a mina de bauxita.

A parceria da Alcoa junto ao Ijus resultou em importantes ações como a criação da unidade de conservação Parque Lago Jará, liderada pela prefeitura de Juruti e o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Destaque ainda para o Juruti UP, em parceria com o Centro de Empreendedorismo da Amazônia, para fomentar jovens empreendedores, e a Escola de Sustentabilidade Juruti, que já formou 40 lideranças focadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do município.

Crédito da imagem de abertura: divulgação

Veja também:

Por que o alumínio é fundamental no combate ao novo coronavírus?

Com a chegada do novo coronavírus, causador da Covid-19, o Brasil entrou em estado de alerta. Os governos estaduais instituíram a quarentena para segurar o pico da pandemia, permitindo apenas a manutenção dos serviços considerados essenciais. Porém, dentro desse contexto, a indústria do alumínio também não pode parar. Para garantir segurança jurídica e abastecimento à

Coronavírus sobrevivem menos tempo em superfícies de alumínio?

Com o avanço da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), muitas pessoas receberam por mensagem de WhatsApp ou viram nas redes sociais informações de uma pesquisa que mostra quanto tempo o vírus resiste em determinadas estruturas, dentre elas, as de alumínio. Para evitar qualquer desinformação em um momento tão crítico, fomos atrás

Mulheres conquistam cada vez mais espaço na indústria do alumínio

O debate sobre igualdade ainda é amplo e a conscientização das empresas cresce na mesma proporção da participação das mulheres em diferentes papéis no mercado de trabalho, inclusive em áreas historicamente com maior concentração masculina. No setor do alumínio não é diferente. A profissional Sylvia Sanchez faz parte dessa história. Ela iniciou a carreira na

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu