antidumping

ABAL planeja apresentar ao governo estudo sobre a competitividade do setor do alumínio

Trabalho está sendo desenvolvido pela FGV e deve ficar pronto ainda em janeiro

Em entrevista ao Valor Econômico publicada nesta segunda feita (20), Milton Rego, presidente-executivo da Associação Brasileira de Alumínio (ABAL), revelou que a entidade encomendou um estudo à Fundação Getúlio Vargas (FGV) para mostrar como a indústria nacional do alumínio é exposta no mercado mundial.

O presidente-executivo destaca a intenção da entidade em apresentar o levantamento para o governo, a fim de reiterar o trabalho em conjunto para a abertura comercial e como isso pode acontecer no Brasil.

“Esse estudo é fundamental para mostrar os ajustes necessários nas políticas econômicas para reduzir assimetrias”, afirmou o dirigente.

LEIA TAMBÉM: 
Consumo aparente de alumínio deve retornar aos níveis pré-crise, afirma presidente-executivo da ABAL
Descolado do PIB, consumo de alumínio cresce no primeiro semestre

Veja também:

De ponta a ponta: multinacionais enxergam com bons olhos a compra de alumínio certificado

O Brasil é o único País do mundo com todas as refinarias de alumina certificadas pela Aluminium Stewardship Initiative (ASI). Em 2017, a organização global criou um programa independente com critérios e padrões, com foco em aspectos ambientais e sociais voltados para a produção, uso e reciclagem do alumínio. A certificação tem dois padrões:Performance: abrange questões

Hydro aumenta número de plantas de extrusão com certificação ASI

A Hydro teve este ano mais 15 unidades de produção certificadas de acordo com o Padrão de Desempenho da Aluminum Stewardship Initiative (ASI), que reconhece a produção, o fornecimento e a administração responsáveis de alumínio. Com isso, a multinacional agora possui 31 instalações de extrusão e fabricação de alumínio com o selo. As unidades recém-certificadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Menu