precificacao de carbono

ABAL avalia impactos da taxação de carbono da UE para alumínio brasileiro

Estudo realizado pela entidade deve ser concluído no quarto trimestre

A União Europeia (UE) anunciou na última quarta-feira, dia 14 de julho, a criação de uma taxa de carbono sobre produtos importados que pode afetar produtos de alumínio do nosso país. A medida, que ainda precisa ser aprovada, será implantada por meio do mecanismo de ajuste de carbono na fronteira (CBAM, na sigla em inglês).

A proposta faz parte de um pacote denominado “Fit for 55”. Trata-se de um plano estratégico para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em 55% até 2030 e ajudar os países membros da União Europeia no objetivo de alcançar a neutralidade climática até 2050.

A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) informou, por meio de nota enviada à imprensa, que vem acompanhando com atenção os movimentos da UE em relação à taxação de carbono em importações junto com outras entidades associativas e a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A entidade também informou que iniciou um estudo específico sobre o tema, com previsão de conclusão para o quarto trimestre deste ano. O objetivo é avaliar os possíveis impactos dessas medidas do plano europeu e as oportunidades para o alumínio nesse novo cenário.

Vale destacar que a indústria de alumínio do país exportou no ano passado 23 mil t de alumínio e seus produtos para a UE, totalizando o valor FOB US$ 42 milhões. O alumínio brasileiro é produzido com a utilização de fonte energética limpa e renovável, lhe conferindo menor pegada de carbono em relação a outros importantes players globais.

Veja também:

Consumo de alumínio tem alta de 25,2% no 1º semestre de 2021

A pesquisa de mercado consolidada pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) no primeiro semestre de 2021 revela que o consumo doméstico de produtos transformados cresceu 25,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O volume total foi de 805 mil t, sendo 88% de origem nacional e o restante de importações. “O bom desempenho

Estudos conduzidos pela CBA e UFV são destaque internacional

A parceria entre a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV) continua rendendo bons resultados e reconhecimentos na área ambiental. Diversas pesquisas sobre restauração florestal, conservação hídrica e reabilitação ambiental foram temas de publicações científicas do mundo inteiro. “Nossa busca pela eficiência e o investimento contínuo em inovação tecnológica estão

Balança comercial: alumínio registra superávit no primeiro semestre de 2021

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 registrou superávit de US$ 623 milhões (valor FOB, sigla em inglês para designar o frete em que a responsabilidade pelo transporte da mercadoria é do cliente). O resultado positivo se deve, principalmente, às exportações de alumina

Rolar para cima