Edição 8

Qual o lado certo?


É a face fosca ou brilhante do papel-alumínio que deve estar em contato com os alimentos?


Rodrigo Conceição


Explicar a tecnologia de extrusão de perfis de alumínio é simples: "Podemos fazer analogia com o tubo de pasta de dente, o qual você aperta e o creme sai naquele formato porque o furo do recipiente é redondo", informa Adilson de Souza Molero, gerente de desenvolvimento de produto da Hydro Alumínio. Tão simples quanto a analogia do especialista é a criação de novos perfis. Por isso, a variedade de modelos aumenta a cada dia. A sofisticação do setor passou a ser, então, aproveitar as formas existentes e diminuir o número de perfis para criar uma tipologia, seja ela de esquadrias, bicicletas, móveis, carrocerias de automóveis etc. Indo ainda mais além, criar perfis que se aplicam em tipologias de outros materiais, como madeira e vidro, também já é possível. Denominadas de perfis inteligentes, essas novidades estão movimentando o mercado de extrusão.

"São duas as formas de perfis inteligentes: (1) perfis multifuncionais, que permitem o uso de menos modelos para se conseguir um número maior de tipologias de um determinado produto, caso das esquadrias e (2) perfis que complementam outros materiais, como as esquadrias de madeira com alumínio", explica Valdir Rodrigues de Araújo, gerente de análise de mercado da Asa Alumínio.

O uso do alumínio como complemento de outros materiais na produção de esquadrias ainda é pouco difundido no Brasil. "Perfis de alumínio aplicados em esquadrias de outros materiais são muito comuns na Europa. Geralmente, usa-se madeira na parte interna da casa e alumínio na parte externa", diz José Carlos Garcia Noronha, gerente de vendas do segmento de construção civil da CBA.

Uma janela em 26 minutos

Para Araújo, da Asa, a solução apresentada por Noronha mostra como o alumínio deve entrar como parceiro de outras composições. "Precisamos trabalhar mais o alumínio em parceria com outros materiais. Todos sabemos de suas vantagens, mas devemos fazer como a indústria do vidro", diz Araújo.

Se o uso conjunto dos perfis de alumínio com perfis de outras composições ainda é incipiente no Brasil, o dos perfis multifuncionais está em franco crescimento. É o que mostram os quatro principais players desse mercado.

A Asa Alumínio investiu U$ 1,2 milhão no desenvolvimento de novas linhas de perfis que se enquadram no conceito de inteligente. "A principal novidade é a Asa Flex, com a qual o serralheiro decide como fazer a esquadria num sistema convencional ou parafusado", diz Araújo. A expectativa é a de produzir 300 t/mês a partir do fim deste ano. "Com a linha Flex o serralheiro consegue, sozinho, cortar e fabricar uma janela em 26 minutos", garante.

Outra novidade da empresa é a linha Slim. "Essa tecnologia permite que com apenas 11 perfis seja possível fabricar todas as principais tipologias de esquadrias", diz. Segundo ele, os perfis dessa linha medem 1,2 mm de espessura, o que os diferencia dos perfis para esquadrias convencionais. "Outro diferencial é o alto poder de vedação. Além disso, a sobra da picotagem feita pelo serralheiro pode ser aproveitada em até 96%."

Fáceis de instalar

Adilson Molero, da Hydro Alumínio, adverte porém que a tecnologia multifuncional não pode ser avaliada somente pela redução do número de perfis para se criar mais tipologias. "Também é preciso fazer o produto mais bonito, durável, mais fácil de fabricar, de transportar etc.", diz. "Por isso é preciso equilibrar o número de perfis, pois, às vezes, a diminuição de modelos aumenta o peso do produto final e isso, obviamente, vai contra as premissas do alumínio", complementa.
A Hydro desenvolveu o Sistema Luna, conjunto de produtos fáceis de fabricar, instalar, conservar e manter. Com todas as conexões a 90 graus nos marcos e nas folhas, possui detalhes inéditos e exclusivos de design.

Versatilidade

"Para o serralheiro o produto oferece ganhos em produtividade, flexibilidade na montagem, usinagens simétricas, versatilidade de perfis e atenção a todas as características regionais e normas", explica Maria Renata Vaz, gerente de marketing da divisão de extrudados da Alcoa, empresa que desenvolveu a linha Inova. "Já para o consumidor final, as vantagens são diversas alternativas construtivas, pois são mais de 44 tipologias diferentes, maior vão de luminosidade e perfis que auxiliam na limpeza da esquadria."

Lançada em abril deste ano, a solução se enquadra tanto no conceito de perfis inteligentes quanto multifuncionais, pois as 44 tipologias permitem a produção de 500 combinações diferentes de esquadrias. É também a primeira a mostrar associação com outros produtos, com modelos feitos para agregar vidros de até 10 mm.

A Alcoa investiu R$ 2 milhões no desenvolvimento do sistema e aposta que a solução representará 50% de suas vendas de esquadrias residenciais num período de três anos. Em três meses de comercialização, a linha Inova já vendeu 600 toneladas de perfis em obras de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Manaus e deve começar a ser exportada para outros países da América Latina, segundo Renata Vaz.

720 combinações

Entre as novidades em extrudados para construção civil está também a linha Votoral, sistema da CBA, uma das maiores companhias do mercado de extrusão no Brasil. A solução foi anunciada em dezembro de 2005 e permite que com 152 perfis sejam fabricadas até 720 combinações diferentes de esquadrias. Segundo Noronha, gerente da CBA, somente dentro dessa linha espera-se produzir 5 mil toneladas de perfis por ano, enquanto toda a área de extrudados da empresa produz 48 mil toneladas/ano.

"A inteligência da linha Votoral está no volume de combinações, permitindo que atendamos às necessidades de todos os tipos de clientes", diz Noronha.

Noronha explica que, para atingir o número de 720 combinações de esquadrias, a CBA criou três produtos para a linha Votoral. Todos eles podem ser usados em três aplicações diferentes: janela pacote, janela com contramarco cadeirinha e janela com contramarco paulista. A linha vem ainda com quatro modelos para aplicação de acordo com o vento de cada região do País.
"Tudo isso multiplicado (3x3x4) gera 36 possibilidades de esquadrias. Quando multiplicamos pelas 20 tipologias disponíveis para a linha, chegamos ao número de 720 combinações diferentes", conclui Noronha.

Revista Alumínio

Edição 39 Abril/
Maio/
Junho
2014

Untitled Document
 

Copyright © 2011 - Segmento MC Editores Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.